Depois de sair da Colômbia, voando de Aires desde a cidade de Barranquilla, desembarquei em uma noite escaldante no aeroporto internacional Tocumen, na capital do Panamá, Panama City. Este é o principal aeroporto do Panamá, com um gigantesco free shop e hub da empresa aérea panamenha Copa Airlines. O Tocumen é o principal ponto de conexão para quem está subindo ou descendo as Américas. Ali existem conexões para todos os países da América Central e Caribe, México e Estados Unidos.

Desembarcando no Panamá - rumbo a Central América
Desembarcando no Panamá – rumbo a Central América

Ao sair do aeroporto, a primeira sensação é dominante: o calor da cidade do Panamá! A cidade parece uma estufa. Ao sair das depêndencias do aeroporto já senti o impacto do clima panamenho. Mesmo estando acostumado com o clima caribenho. Mesmo já acostumado ao clima caribenho no período em que visitei Cartagena e Barranquilla, senti que realmente o calor na cidade do Panamá era insuportável para todos sem um ar condicionado ligado. Todas as dependências do aeroporto são climatizadas, e ao sair ao ar livre, em terra firme na cidade do Panamá, às 22Hrs eu sentia o suor escorrendo e o efeito “estufa” predominante naquela região.

O custo dos táxis era altíssimo e a distância até os bairros mais seguros da capital panamenha era grande, mas mesmo cansado da viagem sentir ser interessante pegar um “chicken bus” (sempre que ler esse termo, interprete como sendo o coletivo da América Central) para um local mais seguro e conseguir assim encontrar um hostel.

Ao relatar minhas primeiras impressões na terra do canal, é impossível deixar de mencionar o seguinte: o Panamá é definitivamente uma terra de muitos constrastes. Começando pela dolarização da econômia panamenha. Sim! Isso mesmo! A moeda local é o dólar americano, apesar de na maioria das vezes os trocos em moedas serem na moeda nativa do Panamá: o Balboa Panamenho. Na realidade as moedas convivem pacificamente há muitos anos neste país. O Balboa caminha “pau a pau” com o dólar estadunidense desde 1904. O Panamá foi o segundo país do continente americano a dolarizar sua economia. Atualmente existem moedas de 1, 5, 10, 25 e 50 centésimos de Balboa, mas não existe o papel moeda balboa.

Panama City rica!
Panama City rica!

E os constrastes panamenhos vão muito além dos dólares e balboas, eles estão por todos os lados. É observando os policiais que se reunem em uma rotina diária de comer rosquinhas (a la Estados Unidos); as construções, prédios e casas que se assemelham totalmente a uma arquitetura estadounidense; a variedade de alimentos a vendas nos hipermercados, engarrafados, compactados, com uma infinidade de marcas norte-americanas. Na infinidade de fast-foods e shopping-centers que você encontrará um atrás do outro; na cultura dos cassinos e até mesmo nas semi-sucatas de ônibus escolares antigos reformados a la cultura panamenha, daqueles amarelinhos (igual aos que você vê em Os Simpsons) que os estadounidenses derramaram sobre a América Central. Muito além de tudo isso está uma sociedade refém de um capitalismo colonizador que deixou reflexos que serão sentidos por várias gerações ainda. Nas ruas discute-se sobre a política dos Estados Unidos, como se o Panamá fosse ainda uma colônia de lá. Vive-se a apelação publicitária e o subliminar medo dos efeitos provocados na sociedade pela obesidade morbida da vida ao estilo “fast-foods”

Publicidade nas ruas panamenhas!
Publicidade nas ruas panamenhas

Carros de luxo misturados aos ônibus escolares, sujeira e pobreza pelas ruas ao lado de prédios e construções luxuosas muito semelhantes às norte-americanas (dos Estados Unidos é claro, me perdoem os mexicanos…). O Panamá é uma terra de contrastes. A luta pelo desenvolvimento espelhado nos Estados Unidos, concorrendo diretamente com o modo de vida latino-americano.

Panama City pobre!
Panama City pobre!

Há quem diga que os chicken bus são os ônibus mais felizes no mundo! Há que concordar que se for para considerar a forma na qual são estilizados então facilmente conseguirão esse título. O apelido provém da idéia de que quem viaja vai empacotado junto em um mesmo acento, às vezes muito mais de quatro pessoas viajam em um acento, como se estivessem literalmente carregando frangos :). Os chicken bus são populares ao extremo na América Central. E foi a forma que eu utilizei para cortar os 6 países desse continente e alcançar meu retorno para o Brasil somente em El Salvador, depois de cortar o Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras e Guatemala, tudo de chicken bus! Então de olho no Blog Boa Viagem para o próximo capítulo: como chegar ao arquipélago de San Blás.

Chicken Bus - Definitivamente o meio de locomoção mais barato
Chicken Bus – Definitivamente o meio de locomoção mais barato

 

Índice desta viagem:

Panamá

Colômbia

Autor
Luiz Jr. Fernandes
Luiz Jr. Fernandes
Sou um analista de sistemas, fotógrafo, autor deste blog e viajante profissional. Já conheci mais de 70 países em todos os continentes do mundo. As minhas matérias são 100% exclusivas, inspiradas em experiências reais adquiridas nos destinos que visito. Obrigado por ler e acompanhar o meu trabalho.
Comentários do Facebook
3 comentários publicados
  1. Mesmo sabendo da influência norte americana sobre o Panamá, não imaginava mesmo que até a moeda fosse o dólar americano. Fiquei impressionada!

    Mas você me deixou curiosa sobre as outras características panamenhas…

    O Chicken Bus me lembrou muito os ônibus bolivianos, que também devem ser meeega felizes! haha

    Adorei o post!

  2. Achei interessante ler suas impressões da Cidade do Panamá. A gente já sabe que as coisas na Ámerica Latina e central funcionam na mesma maneira. Rico e pobre, nada no meio. Como no Brasil (agora melhorou um pouco)

    Só fiquei pouquinho irritado que faltaram algumas informações POSITIVAS dessa – eu estou com certeza – interessante e maravilhosa cidade.

    A gente tem que entender que não é tudo que vem dos Estados Unidos é uma cioisa ruim.

     

    1. Olá Fred!

      Obrigado por sua visita, e principalmente por seu comentário! Na realidade, este post relatou as minhas primeiras impressões no Panamá! Conheci outras dezenas de lugares neste país que me foram experiências incríveis, tais como San Blás e Bocas del Toro, mas eu tinha que registrar que a minha primeira visita não foi lá essas coisas! Mas a Cidade do Panamá é assim! Já voltei outras três vezes lá atualmente e posso afirmar que há MUITO de positivo em toda a cidade, mas para o meu caso, para a primeira impressão, eu confesso que não foi tão legal.

      Mais uma vez mto obrigado pelo comentário e volte sempre ao blog 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.