Em apenas 24 horas consegui visitar alguns hotéis para conhecer a estrutura que Bulawayo tem para receber turistas internacionais, viajei para os entornos das Colinas de Matobo onde conheci o Amalinda Camp, além de visitar o Museu de História Natural do Zimbábue e passear por feiras e subúrbios da segunda maior cidade desta nação. Fiquei hospedado em uma guesthouse bem charmosa, a Travellers e ainda antes de zarpar rumo às Vic Falls com a PathFinder, acabei conhecendo um pouco mais o centro de Bulawayo, caminhando por suas ruas, conversando com as pessoas, visitando supermercados e finalizando o dia em um lugarzinho bem descolado, o Horizon Lounge, uma das principais alternativas para a vida noturna no coração desta cidade.

É nesse lugar que acontece o burburinho dos embalos de sábado a noite, sendo também um excelente lugar para encontros, reuniões ou para simplesmente apreciar a vista e movimento do trânsito nas avenidas principais de Bulawayo.

Horizon Lounge possui a melhor vista do centro de Bulawayo
Horizon Lounge possui a melhor vista do centro de Bulawayo

Quando a noite caiu, antes de voltar para nossa solução de hospedagem, acabamos realizando mais uma visita técnica a um hotel chamado Rainbow, um dos maiores hotéis dessa cidade. Com estrutura em padrão ocidental, tal como o HolidayInn, é um hotel passível a atender às expectativas de qualquer perfil de viajante. Há também um restaurante de alta classe que serve comida internacional e tradicional do Zimbabwe, lugar ideal para realizar refeições enquanto nessa região do país e iniciar com o entretenimento noturno.

Exemplo de hotel em Bulawayo - Zimbábue
Exemplo de hotel em Bulawayo – Rainbow Hotel – Zimbábue

Seguimos viagem rumo ao principal destino desta nação e nos próximos capítulos dessa roadtrip no Zimbábue vamos falar das principais atrações, alternativas para se hospedar e todas as nossas experiências nas Cataratas Victoria e sua Rainforest, não vai perder, né não!?

O ZTA (Zimbabwe Tourism Authority) nos deram o suporte necessário para a realização dessa atividade (tal como transfers).


Centro de Bulawayo – Zimbábue


Autor
Luiz Jr. Fernandes
Sou um analista de sistemas, fotógrafo, autor deste blog e viajante profissional. Já conheci mais de 70 países em todos os continentes do mundo. As minhas matérias são 100% exclusivas, inspiradas em experiências reais adquiridas nos destinos que visito. Obrigado por ler e acompanhar o meu trabalho.
Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *