Punta Arenas e Estreito de Magalh„es visita a Zona Franca e Seno Otway

Em Punta Arenas visitamos os pinguins do Seno Otway, além de fazer compras na zona franca da cidade e conhecer a vida da população daquela Zona Austral Chilena. Confira como foi nossa viagem até essa região!

Após um turbulento vôo da LAN (turbulento tanto no ar, qto ainda terra, na compra...), chegamos exatamente a 01:30 da manhã no aeroporto de Punta Arenas. Um aeroporto pequeno, simples, com poucas lojas de artesanias e alguns poucos guichês. Dali partem vôos diários para Porvenir do outro lado do estreito de magalhães com a Aerovías DAP e bem como para Santiago e Argentina. Pela primeira vez na minha vida senti a intensidade do frio patagônico. Era impossível pra mim, um mero brasileiro, sair pelas ruas em busca de habitação aquela hora da madrugada. Sendo assim resolvemos nos acomodar por ali mesmo, no chão frio do aeroporto e esperar o dia clarear para conseguir um transfer para o centro de Punta Arenas.

Não durou muito a dormida e já fomos acordados pelo pessoal do aeroporto. Em uma cidade na qual todo o movimento começa por volta das 10 horas da manhã (aqui no Brasil o normal é as 8), ser acordado ás 5 da manhã não foi algo muito bom para quem havia dormido no chão durante as últimas quatro horas, mas mesmo assim no fim das contas eu ganhei tempo, e ali, tempo definitivamente significava dinheiro.

Pegamos o transfer por um valor de 4.000 pesos e rumamos para o centro da cidade. Chegando lá, no centro os objetivos eram encontrar habitação para uma noite, pois a noite seguinte seria em puerto natalles; buscar uma forma de ver os pinguins do estreito de magalhães e por último, mas não menos importante, reservar um passeio ás Torres del Paine. Depois de sair de Buenos Aires com o mar de brasileiros que existia por lá quando cheguei, agora em Punta Arenas encontramos apenas 3 grupos de brasileiros. Um deles era um grupo de marinheiros, que encontramos logo que chegamos ao aeroporto, o outro, um casal que rumava até Torres del Paine para uma semana de acampamento, e por último, encontramos um brasileiro louco, cheio de fotos de Torres del Paine, correndo para não perder o ônibus e recomendando claramente que não valia a pena ir até Perito Moreno, pois o que veriamos em Torres era muito mais "austral" do que Perito. Será que ele estava certo?! Eu paguei pra ter certeza que sim!

Eu já disse aqui que o Chile é maravilhoso!? Falei que não é possível adentrar as terras chilenas com alimentos de origem animal ou frutas em um outro post aqui. Agora um pouco da riqueza das frutas/legumes que encontrei em Punta Arenas:

Cores e Sabores Chilenos

Cores e Sabores Chilenos

Frutas chilenas, damasco, nectarina, limon!

Frutas chilenas, damasco, nectarina, limon!

Já no centro da cidade encontramos habitações economicas a 8.000 pesos a diária em várias ruas. Foi fácil também depois que o comércio abriu conseguir encontrar os passeios que buscávamos. Assim que começamos a explorar a região, fomos nos aprofundando na realidade do que é viver no fim do mundo, onde depois dali, só há a Antartida e o frio Austral. A forma na qual as árvores crescem com seus caules tortos por conta do vento constante é impressionante. Falando no vento, por várias vezes nos assustamos com a força impressionante dos ventos patagonicos daquela região. Perguntávamos ás pessoas da região se era normal um vento daquela força e sempre nos diziam que não estava normal. Que os tempos estão mudando. Ventos que balançavam as vans, que nos empurravam pelas ruas, que não nos deixavam cair se nos jogassemos ao chão. Era realmente algo novo para mim. Muito novo! Era estranho ver que às 11 horas da noite o céu estava como às 6 da tarde no Brasil:

Onze da noite no verão em Punta Arenas

Onze da noite no verão em Punta Arenas

Depois de algumas horas caminhando por Punta Arenas, encontramos uma boa oferta na Turismo Laguna Azul, para ver no mesmo dia os pinguins em uma pinguinera próximo a cidade e no dia seguinte, bem cedo para Puerto Natalles e então as famosas Torres. O custo foi um pouco elevado pois teríamos que nos deslocar pelos XXX km que ligam as duas cidades, e ainda teriamos que pagar as taxas de entradas em ambos os lugares. O turismo Laguna Azul fica na Jose Menedez nº 786 TEL 225200

Turismo Laguna Azul

Turismo Laguna Azul

Na cidade de Punta Arenas existe ainda uma zona franca com várias lojas nas quais você pode encontrar de tudo! Existem boas ofertas para material de camping profissional, mochilas de várias marcas e modelos, além dos eletrônicos. Para se ter uma idéia, pode-se comprar até um carro lá dentro.

Zona Franca de Punta Arenas

Zona Franca de Punta Arenas

Visitamos primeiro a pinguinera, e conhecemos um pouco da biologia do pinguim magalhanico em Seno Otway. É uma região onde existem mais de 12.000 pinguins e fica aproximadamente a uma hora noroeste da cidade.

Seno Otway, estreito de Magalhães em Punta Arenas

Seno Otway, estreito de Magalhães em Punta Arenas

Mas certo é que o mais interessante é visitar a Isla Magdalena no estreito de Magalhães, pena que não tinhamos tempo. A ilha é acessível somente através de embarcação marítima e o custo é de cerca de 30 doláres. Aproveitamos bastante os pinguins em Otway o custo de entrada é de U$ 5,00 e como não existem onibus diretos você tem que alugar um carro ou vir como eu em um passeio turístico, enquanto para a Isla Magdalena, o custo de entrada no parque já é incluso nos 30 U$.

Pinguins Magalhanicos no Seno Otway em Punta Arenas

Pinguins Magalhanicos no Seno Otway em Punta Arenas

Biologia do Pinguim Magalhanico no Seno Otway em Punta Arenas

Biologia do Pinguim Magalhanico no Seno Otway em Punta Arenas/Chile

No dia seguinte, visitamos Torres del Paine, em um tour feito com a Laguna Azul. O mais indicado, para quem tem tempo e preza por economia, seria viajar a Puerto Natales de ônibus para então de lá conseguir visitar o parque de Torres del Paine (não esquecendo da cueva del Milodon).

Algumas opções de ônibus que ligam Punta Arenas a Puerto Natales são as seguintes(lembrando que é uma viagem que dura uma média de 3 a 4 horas e custa em torno de 5 a 7 dólares):

Lembrando que a maioria dessas empresas fazem as cidades de Rio Gallegos, Rio Grande, Ushuaia, Coyhaique, Puerto Montt e até El Calafate). Agora posso relatar algumas das hospedagens economicas que consegui por lá:

  • Hostal La Luna (hostalluna@hotmail.com) - cerca de 10 a 12 dólares
  • Hostal Fitz Roy (hostalfitzroy@hotmail.com) - entre 9 e 13 dólares
  • Hostal del Rey (www.chileaustral.com) - entre 10 e 14 dólares

Vale lembrar também que existem hospedagens para todos os bolsos, desde simples hospedagens para viajantes sem muitos recursos financeiros, até hotéis de primeira linha com valores entre 255 a 298 dólares a diária.

Posts desta viagem

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias