Duty Free em Bogotá - Colômbia

Quanto mais viajo e conheço aeroportos internacionais, mais me sinto na obrigação de compartilhar a seguinte advertência - se você for viajar pra fora do Brasil, então não se iluda com os luminosos e centenas de marcas expostas nos duty frees, seu destino pode ter preços mais acessíveis esperando por você.

Para um blogueiro de viagens como eu, visitar quatro duty frees em uma viagem internacional é um sucesso absoluto. Já para você que viaja a turismo, procurando diversão e entretenimento, eu não recomendaria muito fazer uma loucura como essa. Sinceramente,. cheguei ontem a Cancun um tanto quanto estressado de aviões, salas de embarque e duty frees. Para conseguir alcançar meu objetivo nesta viagem, tive que fazer 4 conexões, GYN - CGH, GRU - BOG, BOG - SAL e SAL - CUN. Para um blogueiro como eu, é uma nova experiência, novos posts que posso compartilhar com vocês por aqui, agora se você não tem um desejo tão intenso como o meu de compartilhar suas experiências de viagem, e deseja conhecer Cancun, então faça como eu vou fazer na minha próxima viagem para o México: compre um voo direto, sem escalas. Você vai poupar muito a sua paciência. EU GARANTO!

Bom, mas o assunto da vez é Duty Free. Os leitores mais assíduos do blog conhecem bem nosso estilo de postagem: vamos, experimentamos e compartilhamos. Seja bom ou ruim! Vale a pena ser transparente e fiél com seu próprio diário de bordo não é mesmo? Pois bem, vou confessar um pequeno detalhe: meu "encantamento" por lojas de duty free JÁ ERA! Ninguém gosta muito de ser enganado não é? Pois esse é o meu sentimento quando entro em uma loja como essa, parece muito que tentam a todo custo enganar o consumidor com aquela velha história de produtos sem impostos locais. Não descarto a hipótese de quem sim, os preços são mais baratos do que talvez seriam na lojinha de perfumes (ou bebidas) da esquina da sua casa aí no Brasil, fato é que cada vez mais aprendo que devemos ser ponderados ao sair gastando nossos doláres (e os limites de nossos cartões de crédito) nesse tipo de loja.

La Riviera e Lacoste no Duty Free de Bogotá
La Riviera e Lacoste no Duty Free de Bogotá

Minha conexão no Aeroporto Internacional de Bogotá, o ElDorado, primeiro aeroporto fora do Brasil que pisei em minha vida, foram de exatamente 4 horas; tive tempo suficiente para pesquisar preços, comparar com os valores que vi em Guarulhos antes de embarcar, e assim chegar a conclusões interessantes sobre os valores praticados por essas empresas e as vantagens (ou não) de se adquirir produtos enquanto em um deslocamento internacional.


Algumas lojas do Duty Free do Eldorado

Um aeroporto que não é dos maiores que já visitei, mas com uma particularidade interessante: livre concorrência! Exatamente isso: amo a livre concorrência dentro de lojas com insenção de impostos (ao menos os locais, como dizem). Esta é a minha grande desilusão quando o assunto é duty free em aeroporto brasileiro. Sofro ao ver compradores saindo com sacolas abarrotadas de compras em lojas dessa espécie no Brasil. Ainda mais quando este viajante teve algumas conexões internacionais em outros aeroportos que praticam essa leve "livre concorrência" em seus sagões de embarque internacional. Não estou criticando a Dufry, empresa que explora esse tipo de comércio dentro do território brasileiro. Pelo contrário! Estou sim é elogiando o Aeroporto Eldorado, que mesmo sendo tão pequeno quando comparado com Guarulhos, ainda sim pode oferecer diversas lojas (e marcas) para o viajante optar por aquilo que bem entende, com a liberdade de ir e vir entre lojas atuantes no mesmo segmento.

La Riviera e Aldeasa no Duty Free de Bogotá
La Riviera e Aldeasa no Duty Free de Bogotá

Várias empresas estão estabelecidas no Eldorado. Dentre elas, duas até bem conhecidas de outras viagens internacionais: a Aldeasa e a La Riviera. Além de presentes em Bogotá, vemos também a livre concorrência entre elas, e várias outras empresas do ramo em Lima, Miami, Chile, Panamá e vários outros aeroportos internacionais. Agora no nossa amada nação brasileira, nada para as outras empresas, apenas para uma, que revende produtos das outras a custos elevadíssos (levemente mais econômicos do que nos shoppings do Brasil). Fato pessoal é que vemos lojas de marcas de grife em outros aeroportos, menos nos brasileiros. Em Bogotá por exemplo, existem lojas da Lacoste, MAC, DOF e até uma lojinha dos cafés Juan Valdéz podem ser encontradas por ali. E em nossos aeroportos canarinhos a DUFRY insite em revender até Havaianas ( a 20 dólares o par ).

Juan Valdéz no Duty Free da Colômbia
Juan Valdéz no Duty Free da Colômbia

Mais do que nunca, a dica de ouro, muito valiosa para quem gosta muito de consumir compulsivamente nos duty frees é a seguinte: MUITA CAUTELA! Pesquise os preços do que você pensa em adquirir no duty free antes, via internet, pois o seu destino final pode ter mercadorias a preços mais acessíveis! Imagine um turista gringo, vindo visitar São Paulo e ao chegar no Duty Free fica maravilhado e compra a havaianas de 20 dólares. Pense na revolta! Nas ruas do Brasil não passam de 15 reais e no aeroporto são mais do que o dobro do preço. Ah!, e não tem imposto nacional nelas hein! Imaginem se tivesse...

Havaianas a 20 dólares em Guarulhos
Havaianas a 20 dólares em Guarulhos

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias