O que fazer no Irã: guia completo de viagem no Irã

Essa matéria é pra você que deseja saber o que fazer no Irã. Veja um resumo dos principais lugares que conheci durante 10 dias em terras iranianas.

Este é um guia inspirado na minha experiência de 10 dias viajando pelo Irã. Nós conseguimos comprar uma passagem muito econômica com destino a Teerã com pontos Smiles, mas ai foi quando bateu a dúvida: o que fazer no Irã?! Poxa vida, a gente até tinha uma noção de como era o destino, contudo foi preciso uma dose de boa de planejamento pra conseguir visitar esse destino espetacular.

No post de hoje eu quero te contar um pouco mais sobre como foi minha viagem no Irã. Com uma boa dose de planejamento conseguimos conectar vários países no Oriente Médio e o primeiro destino que visitamos foi Teerã, no Irã.

Vou te contar como foi que planejamos a viagem passo a passo, quais destinos visitamos, como foi que nos deslocamos pra conhecer cada uma das cidades e das atrações nos arredores e você vai ficar impressionado com a beleza impressionante desse país que ainda parece ser um grande mistério para muitos viajantes internacionais.

O que fazer no Irã: como tirar o visto

Existem duas formas mais comuns para conseguir o visto do Irã: fazer a solicitação online e ir até a embaixada, ou então fazer o visto na chegada ao país. Eu vou focar na segunda opção, que foi a que eu realizei, fiquei com muito receio de embarcar pra Teerã sem um visto no meu passaporte, até fui questionado sobre isso no aeroporto de Dubai, onde fiz a minha conexão rumo ao Irã, contudo foi super tranquilo e acabou ficando até mais barato do que se eu tivesse feito todo o processo em Brasília.

Uma das principais mesquitas de Isfahan, no Irã
Uma das principais mesquitas de Isfahan, no Irã

Os pré-requisitos básicos pra tirar o visto na chegada ao Irã são bem simples: você precisa ter um passaporte com validade de no mínimo 6 meses, precisa comprar um comprovar que tem um seguro de saúde com cobertura em terras iranianas (se você não conseguir um aqui no Brasil, pode ficar tranquilo pois eles vendem na chegada por uns 12 euros). O outro detalhe importante é chegar ao Irã com a reserva da sua hospedagem confirmada para pelo menos os primeiros dias.

Essa parte da hospedagem merece um pouco mais de atenção aqui: veja que será necessário preencher um formulário de imigração no momento da chegada ao Irã. Nesse formulário é preciso informar qual será sua alternativa de hospedagem, inclusive informando número de telefone do lugar (imagine só!). Vá com prova de todas essas informações em mãos. Você também vai precisar adquirir o visto na chegada, que custa 80 euros (!!), é eletrônico e eles não carimbam mais o passaporte.

O que fazer no Irã: deslocamentos e transporte

Como fazer para se deslocar entre destinos e atrações no Irã
O que fazer no Irã: como se deslocar entre destinos e atrações no Irã

Uma vez vencida a barreira da imigração, recomendo muito que você já compre um chip de celular local direto no aeroporto. Ali a internet é super econômica, rápida e você pode praticamente acessar quaisquer tipos de sites ou aplicativos instalando uma VPN. Recomendo comprar uma VPN ao invés de usar aquelas que tem grátis na internet, vale a pena a proteção viu ;)

Com relação a deslocamentos a gente tem que considerar vários fatores, mas a fórmula mágica do sucesso é sempre a mesma: use táxi e ônibus, simples assim! Pra visitar os principais atrativos, a gente marcava o destino no mapa e mostrava pros taxistas, perguntávamos quanto custava a viagem e fechávamos o valor antes de entrar no veículo. O dinheiro era sempre pago no final da viagem. Como no nosso caso viajávamos em um grupo de 5 pessoas, às vezes era preciso pegar dois táxis, mas sempre ficava bem baratinho.

Para visitar os lugares mais longe a gente até tentou viajar de avião, no Irã existem dezenas de cias aéreas voando pra todo canto (apesar de não serem as mais seguras do planeta), contudo mesmo tentando chegar no aeroporto de Teerã pra pegar nosso voo pra Shiraz a tempo hábil, o trânsito caótico de Teerã fez com que a gente perdesse a viagem.

Foi legal pois conseguimos descobrir que viajar de ônibus no Irã, além de ser muito confortável e seguro, era também muito barato! Então nós planejamos nossa viagem inteira de ônibus! Viajamos do Teerã pra Isfahan, de lá pra Yazd e então pra Shiraz. Foi super confortável e quem sabe acabamos no final pagando o preço de apenas uma passagem de avião para todos os quatro deslocamentos longos de ônibus.

O que fazer no Irã: sobre o dinheiro e o custo da viagem

Louças para venda no grande bazar de Isfahan
Louças para venda no grande bazar de Isfahan

Agora que você já sabe como é pra se deslocar, vamos falar um pouco de dinheiro?! Bom a cotação no Irã é meio malucona, é fácil ser um milionário no Irã com apenas poucos reais. Trocamos 50 euros no aeroporto e com esse dinheiro conseguimos fazer tanta coisa que no final passamos a acreditar que de fato o Irã era um dos países mais baratos que já teríamos visitado até então.

A moeda local, o Rial Iraniano, vale cerca de 0,00012 reais brasileiros. Então um milhão de riais iranianos são o equivalente a cerca de 110 reais brasileiros. É meu amigo(a), se você quer ser milionário toca pro Irã com uns 500 reais que é sucesso absoluto! A coisa é tão séria que foi preciso criar uma nova "denominação" pra facilitar as contas por lá, foi aí que inventaram um tal de Toman, que é como eles chamam o valor com um zero a menos. Então já viu a confusão né, às vezes não era fácil distinguir se um valor anunciado era de fato no Rial ou no Toman. Mas com o passar dos dias, com a convivência fomos pegando os macetes e compreendendo quando algo estava em Rial ou em Toman.

O que fazer no Irã: quais cidades visitar

Quais cidades visitar no Irã?!
Quais cidades visitar no Irã?!

O Irã é um país com uma tremenda carga cultural, é o tipo de lugar que você cresceu lendo sobre ele nos livros de história e geografia, é o berço da Pérsia Antiga, país de características únicas, de língua própria, de cidades históricas, terra de montanhas nevadas, campos limpos abertos, de florestas e oceanos, terra de grandes desertos e lugar onde existem algumas das mesquitas muçulmanas mais espetaculares do mundo!

Eu poderia ficar aqui por dias escrevendo o que fazer no Irã, contudo vou focar nos principais atrativos que você poderá encontrar em cada uma das cidades neste primeiro momento, para depois, nos próximos posts, escrever melhor sobre cada uma das cidades que eu conheci nessa oportunidade. Então vamos lá, o que fazer no Irã, mais precisamente nas cidades de Teerã, Isfahan, Yazd e Shiraz?! Confira logo a seguir:

O que fazer no Irã, em Teerã

Estação de esqui em Teerã, no Irã
Estação de esqui em Teerã, no Irã

Eu visitei o Irã começando pela cidade de Teerã. Ali eu permaneci por apenas duas noites, contudo nesses dias foi possível ver muito sobre o país e tive as primeiras introduções aos costumes regionais. Ali eu conheci vários lugares, contudo quatro deles foram bem expressivos e merecem um post maior só pra falar sobre eles: nós visitamos a Torre Azadi, um dos principais marcos urbanos da cidade. Subimos na Torre Milad, um dos pontos mais altos do centro de Teerã, caminhamos muito nos arredores centrais da cidade, passamos inclusive na frente da antiga embaixada dos Estados Unidos, hoje transformada em um museu "anti-americano".

Foi muito bom pra caminhar nos arredores centrais, comer em restaurantes típicos e ter as primeiras impressões sobre a culinária local, contudo o que mais nos impressionou nesta cidade foi o passeio que a gente fez até o topo da estação de ski Tochal, um dos lugares mais espetaculares que conhecemos no Irã. Ali existe um teleférico que nos levou até um dos pontos mais altos da montanha. O topo da montanha era completamente nevado, era possível realizar vários esportes de neve, como ski, snowboard e até andar em uma moto para neve.

Conhecer Isfahan e o que fazer por lá

No grande bazar de Isfahan
No grande bazar de Isfahan

Depois de conhecer tantos lugares incríveis na capital do Irã, acabamos perdendo o voo que nos levaria diretamente até Shiraz. Optamos então por seguir a viagem de ônibus rumo ao próximo destino que tivesse disponibilidade de ônibus, acabamos por viajar durante a noite rumo a Isfahan, cidade do Irã, no centro do país, a 340 quilômetros ao sul de Teerã. Terceira maior cidade do país, era conhecida na Antiguidade por Aspadana, tendo sido à época uma das maiores cidades do mundo.

Em uma cidade com esse galardão histórico dá pra fazer tanta coisa que é preciso ficar ali uma semana pra esgotar todos os atrativos turísticos disponíveis. Nós focamos em conhecer alguns dos principais marcos urbanos, visitamos as principais mesquitas, caminhamos pelas ruas centrais e nos encantamos com a beleza das pontes históricas que conectam os bairros do centro de Isfahan.

Alguns dos lugares que visitamos foram a Praça de Naqsh-e Jahan, com o direito de visitar lojinha por lojinha do grande bazar que existe ao longo da praça. Conhecemos também a ponte Si-o-se Pol, ou Ponte dos 33 arcos, caminhamos pela outra ponte famosa da cidade chamada de Khaju Bridge, além de visitar as principais mesquitas: a Grande Mesquita de Isfahan e a Mesquita Sheikh Lotfollah.

Yazd, cidade no meio do deserto

Yazd, destino no meio do deserto
Yazd, destino no meio do deserto

Desde Isfahan partimos em uma tarde linda de céu azul e sol a pino (porém de frio agradável), rumo à cidade no deserto mais famosa do Irã, a belíssima Yazd. Nós ficamos encantados com a beleza das paisagens que encontramos em nosso caminho na viagem entre Isfahan e Yazd, de fato nós acertamos bem ao fazer a viagem durante a tarde.

Este é um lugar diferenciado, uma das cidades mais interessantes que conhecemos nesta oportunidade. Além de conseguir fazer vários passeios em desertos isolados, caminhar sob dunas, passear de camelo e tirar fotos espetaculares no caminho, o grande barato de Yazd está em sua arquitetura típica, única, excêntrica, super espetacular que dá um ar desértico todo característico ao destino.

Ali também visitamos algumas das principais mesquitas, conhecemos vários lugares interessantes, vários marcos urbanos importantes, contudo o que achamos mais interessante nesse destino foi caminhar até os principais lugares, interagindo com as pessoas, tomando o tempo necessário para nos perdermos nos bazares e nos encontrarmos em lugares fantásticos. Vale a pena viajar até Yazd hein galera ;)

Shiraz, portal para Persépolis e Pasárgada

Persépolis, nos arredores de Shiraz, sul do Irã
Persépolis, nos arredores de Shiraz, sul do Irã

Por fim, mais uma vez pegamos um novo ônibus noturno que nos levou até Shiraz, a segunda maior cidade do Irã, porta de entrada para alguns dos legados históricos mais importantes da cultura persa, as cidades de Persépolis e Pasárgada.

Existem tantos atrativos em Shiraz que você poderia viver uma vida inteira por lá e não conseguir conhecer tudo que essa cidade e seus arredores são capazes de proporcionar. Nós focamos em visitar as principais mesquitas (inclusive a mesquita "cor de rosa"), caminhamos muito nos bazares, um dos maiores do Irã. A parte mais interessante dessa viagem foi de fato ter conhecido um taxista que contratamos para nos levar para Persépolis. Pagamos 50 dólares (incluindo gorjetas), para viajar desde Shiraz até Persépolis em dois táxis que ficaram por nossa conta praticamente o dia inteiro.

Concluindo...

O que fazer no Irã - A Mesquita Cor-de-Rosa em Shiraz
A Mesquita "Cor-de-Rosa" em Shiraz

A sensação é que a viagem ficou incompleta viu pessoal! Foram tantos lugares em tão pouco tempo que hoje eu acabo por entender exatamente o que o taxista que nos levou do aeroporto de Teerã pra nossa hospedagem queria dizer quando afirmamos que ficaríamos cerca de 10 dias no Irã: ele afirmou que o país dele era muito barato, a gente deveria ter ficado um mês!

Ainda ficou aquele desejo de conhecer mais lugares, de visitar mais destinos no Irã, de experimentar novos pratos e realizar experiências distintas que não estão relacionadas em guias de viagem. Se você está planejando uma viagem e ainda não sabe o que fazer no Irã, acredito que este post está repleto de inspiração! Eu ainda quero voltar pra conhecer o deserto de Kerman, ir além explorando os destinos maravilhosos à beira do Mar Cáspio, ou então dar um pulinho lá no Golfo Pérsico pra conseguir conhecer a espetacular ilha de Kish! Como podem ver, o Irã é um país repleto de atrativos turísticos, a um custo exorbitantemente econômico e que pode sim, fazer com que você se impressione com as maravilhas disponíveis para serem visitadas em um país de cultura e origem secular.

Gostou da matéria?! Ficou com vontade de conhecer o Irã?! Tem alguma dúvida ou dica que deve ser relacionada nesta matéria?! Então siga em frente! Vá adiante e deixe um comentário especial pra gente na caixa de comentários que vem logo a seguir! Sem dúvidas suas opiniões complementarão brilhantemente essa fonte de informações sobre o Irã! Abração e até a próxima.

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias