Voando com a TACA de Lima a Cuzco

TUUA, chá de coca, aeroporto de Cuzco, o que tudo isso tem haver? Continuando os relatos da viagem ao Peru, veja só como foi que eu fui parar na cidade de Cuzco, depois de sair de Lima ás 5 da manhã.

Após ter relatado as minhas primeiras impressões direto da cidade de Cuzco, volto a falar desta cidade impressionante afim de compartilhar com os leitores do blog de minhas experiências viajando sozinho ao Peru. Após ficar por dois dias na cidade de Lima, de onde também já tirei algumas impressões, voei de TACA da capital até Cuzco no primeiro voo do dia, ás 5 horas da manhã. Sendo assim, não dormi no dia anterior, cheguei ao aeroporto ás 3 da manhã, fiz o checkin e fui aprendendo um pouco mais sobre o Peru.

No aeroporto peruano, todos devem pagar um imposto chamado TUUA (Tarifa Unificada de Uso de Aeropuerto). Em alguns tickets esse imposto já está incluso, mais na realidade detectar isso com um avião saindo ás vezes pode se transformar em um verdadeiro caos para o turista desavisado! Pois bem, no meu caso exclusivamente o voo estava com o TUUA pago! Tanto o de vinda do Brasil e volta, quanto meu one-way direto de Lima a Cuzco pela TACA. A questão é que para adentrar ao embarque, é necessário apresentar um selo que possui um código de barras com o tal do TUUA pago! E no caso da TACA, estavam entregando os selinhos em um outro guichê, diferente do que fiz checkin. Até eu descobrir isso eu quase perdi o avião.

Passagem e TUUA pagos! Vamos a Cuzco!
Passagem e TUUA pagos! Vamos a Cuzco!

Então a primeira dica que deve ser observada em uma viagem dentro do Peru é sobre o TUUA! Observe na hora da compra se o seu ticket possui o TUUA incluído, e se não, saiba que você terá que reservar uma certa quantia de soles para o pagamento na hora de sair de viagem. Custuma não ser muito caro, no meu caso, de Lima a Cuzco, paguei U$ 6,82, já inclusos no meu ticket. Vi muita gente se enrolando na hora de voar por conta desse TUUA! Eu mesmo, como disse anteriormente, não peguei o selo no guichê e tive que subir até o embarque, descobrir que precisava do selo, descer novamente, ir ao guichê do checkin, brigar com a atendente por conta do tal do selo até descobrir que o selo era em outro lugar que eu iria consegui-lo. No caso da passagem de volta com a LAN, simplesmente não necessitava do tal do selo. O fiscal na hora do checkin, olhou a minha passagem, viu a logo da LAN e logo foi me falando "Pase adelante!", e eu passei adiante e fui parar no Brasil.

Chegando ao aeroporto, a motivação de estar em Cuzco só aumenta, é nítido ver a apelação turística internacional exclusivamente voltada a Cuzco no Peru. Um gigantesco banner logo no desembarque já avisava! Welcome to your best experience in Peru! Eu estava certo, eu deveria ter visitado Cuzco no Peru. Isso me motivou mais ainda a desembarcar e viver Cuzco intensamente logo no primeiro dia, mesmo estando sem dormir. Mais logo adiante, ao adentrar o aeroporto, já esteja preparado para o assédio de zilhares de agenciadores de turismo que estarão a sua espera para oferecer-lhe a melhor viagem a Machu Picchu, Vale Sagrado, City Tour e tudo mais que você já pode ter em sua vida. De olho neles! Mais o que verdadeiramente me impressionou ao desembarcar foi a placa de Oxigênio Grátis! Sim, eu estava na altitude. E até então não tinha a noção do que isso representaria na cultura andina.

No desembarque: oxigênio grátis em um aeroporto? Sim, estou na altitude de Cuzco!
No desembarque: oxigênio grátis em um aeroporto? Sim, estou na altitude de Cuzco!

E agora? O que fazer contra o tal do mal da altitude? Até então nunca tinha estado a mais de 3.000 metros de altura, e então, Cuzco! E ouvi de tudo! Que a altitude dá dor de cabeça, mal estar, náuseas e diversos males! E contra tudo isso o que fazem os turistas? Se entopem de soroche! Um típico comprimidinho que combate os males da altitude e provoca bem-estar para permanecer no período de aclimatação. E o que eu fiz? Fiz como os andinos fazem, como os peruanos me recomendaram, me entupi, mas de chá da folha de COCA

Matecito de Coca já em Cuzco!
Matecito de Coca já em Cuzco!

E deu onda? Eu fiquei doidão por conta da Coca? Veja bem, prezado leitor, eu não fiquei doidão! Muito pelo contrário, tomando o chá de coca eu me senti bem melhor fisicamente. Minha disposição, mesmo depois de um dia sem dormir, foi a melhor possível, não senti efeito algum da altitude, mais sim, passei o dia todo tomando o chá, e no final do dia eu estava disposto e sem sentir efeito algum sobre meu organismo por conta da altitude. Posteriormente vamos falar muito mais aqui no blog sobre a importância da folha de coca para a cultura andina, os efeitos que a coca produz no nosso organismo, o porque de consumi-la na altitude e muito mais.

Então não deixem de acompanhar o Blog Boa Viagem! Nos próximos posts teremos muito mais sobre o Peru! Falaremos sobre os principais sítios arqueológicos que valem a pena a visita em Cuzco, muito mais sobre Machu Picchu, e ainda uma série de posts sobre Puno e o Lago Titicaca, as Ilhas Urus, Arequipa e o Canyon del Colca, a cidadela de Chivay, no meio do Canyon, a cidade de ICA e o paradisíaco oásis de Huacachina e muito mais sobre Lima a capital peruana! Os comentários são sempre muito bem vindos na caixinha abaixo! Hasta siempre muchachos!

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias