Introdução à Polinésia Francesa e algumas de suas ilhas

Estive ausente nos últimos dias justamente por estar cultivando novos conteúdos inéditos, exclusivos e espetaculares aqui pro blog. Estive na Polinésia Francesa por 15 dias e esta é uma breve introdução a estes belos dias em que conheci Maupiti, Bora Bora, Tikehau e Fakarava.

Neste exato momento estou no ar entre Bora Bora e Tikehau com a Air Tahiti em um voo de aproximadamente uma hora de duração. Acabo de deixar para trás a metade do caminho em uma viagem que me levou a conhecer Maupiti e sua irmã mais famosa - Bora Bora - localizadas no Arquipélago das Ilhas da Sociedade. Ainda falta mais uma semana para o meu retorno ao Brasil e também mais duas ilhas por conhecer. Na realidade não são ilhas, mas sim o Atol de Tikehau e Fakarava, lagoas isoladas na imensidão azul do Oceano Pacífico.

Até então vivenciei experiências únicas a cada dia de explorações, descobri que é possível sim conhecer a Polinésia Francesa sem quebrar a conta bancária e estourar os limites dos cartões de crédito, porém não é missão simples e vou tentar na medida do possível compartilhar todas as minhas dicas, todos os detalhes que consegui absorver nesses dias em que estive pingando de ilha em ilha. Existem dezenas de ilhas que podem ser visitadas em uma visita até o Tahiti, porém a missão mais complicada em uma viagem como essas inicia-se ainda antes da viagem iniciar. Todos os voos internacionais e serviços de alfândega e imigração estão concentrados na ilha capital, chamada Papeete. Antigamente os grandes magnatas do planeta ainda tinham condições de pegar seus jatinhos particulares e pousarem diretamente na paradisíaca Bora Bora, porém isso hoje já não é mais possível e todos os turistas que desejarem conhecer outras ilhas/arquipélagos, devem obrigatoriamente adquirir um ticket aéreo com conexões nacionais com Air Tahiti.

Existem aqueles que optam por viajar tanto e ficar apenas nas duas principais ilhas onde os voos chegam, Papeete e Moorea e até acredito piamente que existam atividades e oportunidades de aventuras realmente interessantes nestas duas ilhas, porém nesta oportunidade consegui ir além e comprei um passe nacional da Air Tahiti que me dava direito a vários voos. Vou explicar em uma nova matéria um pouco mais sobre como adquirir esse passe e quais seriam as melhores combinações a nível de custo x benefício para quem deseja planejar uma viagem futura ao Tahiti.

Bora Bora Resort
Dias chuvosos em uma das ilhas mais lindas do mundo

Até então não posso reclamar muito de tudo que vi, realmente obtive experiências inéditas na minha vida. Meu único aborrecimento é com relação ao tempo nublado e chuvoso, consequência de ter conseguido conciliar meu tempo disponível para viagem com uma promoção de passagem internacional e ter conseguido apenas emitir meu ticket para o final da temporada chuvosa, que vai de dezembro a março. Se você está planejando uma viagem para essas bandas do planeta, acredito que um dos fatores determinantes para uma viagem excepcional seja realmente viajar na estação seca do ano (entre junho e outubro). Caso contrário, você acabará como eu, preso por boa parte do tempo em sua solução de hospedagem, única e exclusivamente por conta da chuva que não para de cair. Grande frustração vir para Bora Bora e chover 3 dias consecutivos enquanto estou na ilha, o tempo esteve nublado e como solução optei por colocar meus esforços todos em atividades marinhas. Mergulhei com cilindro debaixo de muita chuva e fiz um passeio de barco com direito a praticar snorkel em uma piscina natural repleta de tubarões, fiquei satisfeito pelas atividades, entretanto o tempo me deixou contrariado, com certeza é um lugar que merece o meu retorno.

Snorkel em Bora Bora
Snorkel com tubarões "black tip" em Bora Bora

A minha sorte grande mesmo esteve até então em Maupiti. Ali eu consegui fazer várias atividades ao ar livre com dois dias de sol, céu azul e muito calor. No dia da chegada matei meu jetlag tomando água de coco direto dos coqueiros da Tereia Beach, uma das praias mais paradisíacas dessa pequena ilhota. Caminhei pelos motus (ilhotas no meio da lagoa), registrei bons momentos ao lado de um guia pessoal que me acompanhou desde o momento que desembarquei na ilha (o cachorro Rex). Participei de um picnic em uma dessas ilhotas que me rendeu belíssimos momentos, realmente memoráveis e estive hospedado em uma pensão familiar (Pension Teheimana) que me proporcionou momentos tão agradáveis a ponto de me fazer sentir como parte da família. Ainda em Maupiti, realizei o trekking escorregadio até o topo da ilha, superando meus limites e obtendo ao final uma vista espetacular que já está eternizada em minha memória.

Maupiti - Polinésia Francesa
Meus dias em Maupiti ao lado do Rex

Em Bora Bora, por conta do mau tempo, investi todos os momentos em atividades aquáticas que realmente até então foram inéditas em minha vida. Primeiramente experimentei um tour pela lagoa em que além de mergulhar com tubarões e alimentar arraias, conheci vários lugares espetaculares para mergulho livre e também o motu particular em que os turistas podem almoçar e passar o dia tomando banho de mar. Meu segundo dia (de 3) em Bora Bora amanheceu completamente nublado e encoberto, chuvoso do princípio ao final do dia. A chuva não me desanimou e fui pra baixo da água com a galera do Bora Diving, que também não cancelaram o mergulho por conta do mau tempo. Foi um dos melhores mergulhos que já vivenciei nos últimos tempos. Consegui nadar lado a lado com uma gigantesca raia manta, nos escondemos atrás dos cânions subaquáticos para contemplar o bailado das raias chita, abundantes nesta região do planeta! Conheci variadas espécies de pepinos do mar, esponjas e tantos outros tipos de peixes. Essa sem dúvidas foi uma das minhas maiores experiências aqui na Polinésia Francesa.

Bom, já estamos quase chegando a Rangiroa, o terceiro maior atol do planeta, porém desta vez não vou conhecer o fundo do mar aqui, desta vez vamos conhecer Tikehau e Fakarava, todos eles lagoas no meio do Pacífico, sem dúvidas serão dias para construir memórias e adquirir novas experiências que me acompanharão até o final dos dias nesse planeta. Ah, o sol parece querer brilhar, o oceano aqui de cima se mostra mais azul do que o próprio céu, porém eu ainda assim acredito que vou conseguir viver momentos inesquecíveis nestes dois próximos destinos em que estou prestes a desembarcar.

Estou preparando um editorial fantástico, no qual contarei todas as dicas que aprendi na prática por aqui. Se você sonha em conhecer um lugar fabuloso como Bora Bora, na Polinésia Francesa, acredite que ele pode se transformar em realidade! Te conto nos próximos posts como faz para ficar bem baratinho ;)

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias