Harare, Domboshava e algumas pinturas rupestres no Zimbabwe Central

Finalmente chegamos ao continente africano! Nessa primeira matéria sobre nossa mais recente viagem ao Sudeste da África, convidamos vocês a conhecerem um pouco mais sobre o Zimbabwe e um dos principais atrativos turísticos do centro desse encantador país: o Monumento Nacional de Domboshava.

Desembarquei no Zimbabwe em uma bela manhã com céu azul e temperatura agradável. O voo com a EgypthAir realizou uma parada técnica em Dar Es Salaam na Tanzânia e depois seguiu viagem quase vazio rumo a Harare, a capital do Zimbabwe. Para brasileiros o visto é conseguido logo na chegada ao aeroporto, praticamente todos os países do sudeste africano emitem o visa on arrival, porém é bom ficar bem precavido antes de embarcar e fazer a consulta aos sites das embaixadas a serem visitadas.

Ainda na fase de planejamento dessa roadtrip com duração de 4 semanas que me levaria de Harare até a capital do Kênia, a cidade de Nairobi, fiz questão de tecer algumas parcerias para nos auxiliar na acessibilidade no destino afim de termos um editorial mais rico e informativo para vocês que são assíduos aqui no Blog. Fomos brindados com o apoio do Ministério do Turismo do Zimbabwe, o ZTA (Zimbabwe Tourism Authority), que abriu as portas desse país de tal forma que não teríamos como agradecer a não ser criando matérias fantásticas sobre os lugares que visitamos. Boa parte das nossas despesas foram cobertas pelos lugares visitados e todos os posts estarão devidamente sinalizados no final das matérias com os auxílios, apoios e patrocínios que recebemos no Zimbabwe. Não se preocupe pois se tem algo que prezo em meu próprio diário de bordo é pela veracidade dos fatos, não tendenciado-os por qualquer forma de apoio financeiro. Vamos relatar para vocês tudo que de fato aconteceu, nossas expectativas, nosso interesse nessa riquíssima nação, onde definitivamente as pessoas são a principal atração! Bem-vindos ao Zimbabwe, Sudeste da África!

Desembarque em Zimbabwe, na cidade de Harare
Desembarque em Zimbabwe, na cidade de Harare

A felicidade ficou estampada no meu rosto por praticamente 4 semanas! Voltar ao continente africano depois de um breve sneak peak proporcionado dois anos atrás pela África do Sul foi simplesmente mágico pra mim. Parecia que a África estava tão distante das minhas próximas viagens que quando coloquei os pés no estacionamento do aeroporto de Harare, a capital do Zimbabwe, foi aquela felicidade! O pessoal do ZTA nos aguardava no desembarque e fizeram sem dúvidas toda a diferença em nosso editorial. Do aeroporto direto para uma das principais atrações turísticas de Zimbabwe Central: o Monumento Nacional de Domboshava.

Em Harare, capital do Zimbabwe, conhecendo Domboshava
Em Harare, capital do Zimbabwe, conhecendo Domboshava

Sabe o que mais me impressionou nestas primeiras impressões sobre esse novo país africano?! As flores! Por todos os lados elas estavam lá, presentes, marcantes, com cores tão vívidas que pareciam de plástico. Recebemos algumas explicações sobre o Vale de Domboshava e sua importância tanto para as comunidades que vivem ao seu redor quanto para os antepassados do povo zimbabweano.

Logo na entrada de Domboshava existe uma grande floresta que é considerada "terra que não pode ser cultivada". Há todo um mistério ao redor desse lugar, pois algumas histórias de antepassados relatam que as pessoas tentavam cortar as árvores dessa região para criar pequenos campos de cultivo, indo no final do dia de trabalho para suas casas e quando retornavam no dia seguinte, as árvores estavam lá novamente como se nada tivesse acontecido. Você pode perceber o tamanho da floresta e as dimensões da vista panorâmica do planalto central do Zimbabwe pela montagem a seguir:

A beleza da vista do planalto central do Zimbabwe
A beleza da vista do planalto central do Zimbabwe

A última foto da montgem anterior mostra perfeitamente a entrada do Monumento Nacional de Domboshava e a floresta que não pôde ser vencida, localizada logo ao seu redor. Esse lugar se tornou uma região sagrada para os antepassados, uma terrra que se recusa a ser cultivada, um lugar realmente especial para o povo do Zimbabwe. Começamos a caminhar rumo a outro lugar mágico em Domboshava, uma montanha de pedras com um pequeno túnel natural conectando o topo das rochas a seu interior. A comunidade local utiliza esse lugar que visitamos em um encontro tradicional todos os anos no mês de setembro para orar pelas chuvas. Você pode comprovar que no topo das rochas que realmente existe um buraco natural, cravado no meio da grande pedra conectando o topo da montanha aos pés dela mesma,toda encoberta por líquens de diversas cores. E sabem o que é mais legal? Aos pés dessa gigantesca rocha estão vários desenhos rupestres datados de 6.000 anos atrás (última montagem)!

Uma das principais atrações de Harare, no Zimbabwe
Uma das principais atrações de Harare, no Zimbabwe

A vista panorâmica em Domboshava é sensacional, avista-se facilmente, kilômetros e mais kilômetros Zimbabwe Central adentro. Este é um dos lugares mais famosos do centro do país, atração turística e cultural responsável por atrair boa parte dos exploradores do Sudeste da África até a simpática capital do Zimbabwe, a cidade de Harare. Existem formações rochosas realmente muito excêntricas no topo das montanhas de granito, mas sem dúvidas o que mais me deixou fã desse lugar foi a vista; foi ótimo poder fotografar os pequenos vilarejos, várias casinhas espalhadas nas planícies dos arredores deste fantástico lugar.

Domboshava em Harare, Central Zimbabwe
Domboshava em Harare, Central Zimbabwe

Sobre as festas realizadas todos os meses de setembro em Domboshava pelos locais, eles costumam fazer grandes fogueiras e trazem cerveja tradicional que é boa para consumo por até 7 dias. Os mais espiritualistas são responsáveis por trazer um bode preto que é colocado no buraco que fica aos pés da montanha e sacrificam o animal ateando fogo a seu corpo. Se a fumaça da queima que entra na grande pedra sair pelo topo, então isso é considerado sinal de que uma ótima estação chuvosa está por vir, mas se a fumaça não sair, então é sinal de seca. Não me questionem como, mas de alguma forma (julgada espiritual pelo povo do Zimbabwe), se a fumaça vencer o interior da pedra então os resultados serão de boa colheita para os camponeses e para a agricultura do país como um todo. Este é um sinal tão importante para os rumos da agricultura que caso a fumaça realmente não chegue a sair pelo topo do granito, então todos voltam para suas casas e planejam uma nova agricultura de subsistência que sobreviva ao impacto da seca pré-anunciada por este ritual sagrado.

Conhecendo os hieroglifos de Domboshava, Zimbabwe
Conhecendo os hieroglifos de Domboshava, Zimbabwe

Partímos de Domboshava impressionados pela magnitude e contagiados pelas boas vibrações desse lugar. Nossa próxima parada já estava planejada: fomos visitar um dos shoppings da região metropolitana do Zimbabwe e conhecer um pouco da vida real das pessoas que vivem por lá. Querem conhecer mais sobre essa terra de maravilhas? Não deixe de acompanhar nossas próximas atualizações! Enquanto isso fiquem com a galeria com as fotos dessa experiência e um breve vídeo que registrei enquanto caminhava pelo topo das montanhas de granito em Domboshava!

O ZTA (Zimbabwe Tourism Authority) e o Parque do Monumento Nacional de Domboshava patrocinaram essa atividade e nos deram todo suporte necessário para confeccionar essa matéria..


Domboshava - Harare Central - Zimbabwe

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias