Passeio de trem e caminhada sob a ponte que liga o Zimbábue à Zâmbia

Aproveitamos os últimos momentos no Zimbábue para conhecer melhor a estrutura da ponte desenvolvida por David Livingstone que também funciona como ferrovia que corta o Rio Zambezi, a fronteira natural deste país com a Zâmbia.

Desembarquei em Harare sem a menor pretensão de que este seria um dos países africanos que mais havia de me surpreender. Na matéria de hoje, concluo os meus relatos sobre essa nação que nos acolheu de forma tão especial durante exatos 7 dias nessa roadtrip de 4 semanas que nos levaria até o Quênia como destino final. Este é o vigésimo post de uma série que relatou os detalhes de cada atividade realizada nas cidades de Harare, Bulawayo e Victoria Falls, só que o Zimbábue é muito mais do que isso! Acredito que poderia passar até um mês em seu território sem conseguir conhecer os outros tantos lugares explêndidos e safaris intensos que por ali podem ser realizadas.

Parti deste país sem conhecer os Parques Nacionais de Gonarezhou, Mana Pools e Hwange, justificativas justas para uma nova viagem, compreende? Porém meus dias foram fantásticos e a minha última missão seria cruzar a fronteira em um tour arranjado pelo pessoal do ZTA com a Victoria Falls Steam Train Company, passeio este que consistia basicamente em cruzar a ponte pelos trilhos do trem, fazer a saída oficial do Zimbabwe e depois, ainda antes de adentrar a Zâmbia, realizaríamos um tour pelas estruturas desta incrível obra de engenharia planejada por Livingstone há mais de um século atrás.

Victoria Falls Steam Train Company
Victoria Falls Steam Train Company

A Victoria Falls Steam Train Company foi criada no final de 1996 em um acordo conjunto entre a Zâmbia Railways e Ferrovias Nacionais do Zimbabwe para permitir que um operador privado executasse passeios históricos para turistas entre as cidades de Victoria Falls e Livingstone. Eles oferecem uma variedade de passeios memoráveis ​​através da ponte histórica e para o Parque Nacional Zambezi, todos com início a partir da base em Victoria Falls, Zimbabwe. O trem para no meio da ponte proporcionando aos turistas o momento ideal para fotografar a experiência, bem como registrar a fumaça que troveja alcançando a altura das nuvens.

Fronteira natural entre a Zâmbia e o Zimbabwe
Fronteira natural entre a Zâmbia e o Zimbabwe e o spray das Vic Falls

Enquanto o pessoal do Steam Train segue com o passeio, cruzando definitivamente a fronteira e fazendo-se necessário carimbar os passaportes oficializando a saída do Zimbábue. Eles pararam no escritório do controle de fronteira para caribarmos os passaportes e dar adeus ao primeiro país de nossa expedição no sudeste da África, a Zâmbia nos aguardava a partir dali. Antes de cruzarmos a fronteira novamente, pagar os U$ 50,00 pelo visto (para apenas uma entrada) e carimbar o passaporte para seguir viagem a partir de Livingstone, ainda experimentaríamos uma última atividade relacionada às Victoria Falls: um passeio pela histórica ponte que também é uma ferrovia. A primeira parte era assistir a uma palestra ministrada pelo próprio Livingstone (ou um figurante muito bem trajado!) em uma apresentação do projeto desta ferrovia e do tour que nos levaria a caminhar nas estrutras da ponte.

Tour guiado na ponte do Rio Zambezi
Tour guiado na ponte do Rio Zambezi

Fomos orientados a não levar máquinas fotográficas de grande porte, devido aos constantes respingos de água e justamente para não dificultar a caminhada entre as estruturas de aço da parte inferior da ponte. A caminhada é lenta porém com um visual explêndido. Caminha-se de uma ponta à outra e depois o retorno é feito pela parte de cima da ponte. Outras atividades que utilizam este lugar como base são a tirolesa e o bungee jump (que também ficarão para minha próxima visita ao Zimbábue!).

Cruzando a fronteira entre Zimbábue e Zâmbia
Cruzando a fronteira entre Zimbábue e Zâmbia

Despedi-me desse país com uma certa dorzinha no coração. A Josephine, agente da ZTA que esteve conosco durante praticamente todo nosso percurso já estava sendo considerada parte da equipe dessa roadtrip, foi difícil nos separar dela, porém era hora de partir! Ela foi uma pessoa que fez a diferença em nosso tour pelo Zimbabwe. Soube nos mostrar o melhor de cada cidade, não mediu esforços para estabelecer parcerias para nós em seu país, bem como fez de tudo para manter a gente sempre feliz e empolgadões (mesmo quando tinhamos que dormir uma da manhã para acordar às 5!) A viagem rendeu por causa dela e ficam aqui os meus mais sinceros agradecimentos por essa parceria e por ter acreditado em nosso blog como um veículo sério o suficiente para divulgar a nação dela para nossos leitores brasileiros. Foi um prazer estar no Zimbábue por uma semana!

Nas próximas matérias dessa série você vai saber como foi que nos desenrolamos para cortar a Zâmbia de cabo a rabo em dois dias, nosso tempo estava passando muito rápido e queríamos aproveitar o melhor do Malawi antes de planejar a nossa viagem para a Tanzânia. O Kilimanjaro estava nos chamando! Enquanto não chegamos lá, deixo com vocês uma série de vídeos dessa atividade realizada na ponte que liga o Zimbábue à Zâmbia!

Serviço

Victoria Falls Bridge Tour e Steam Train Tour
Sites: victoriafallsbridge.com / steamtraincompany.com
O ZTA (Zimbabwe Tourism Authority) e o Steam Train Company proveram todo suporte necessário para a realização dessa atividade (tal como transfers e taxas de admissão).


Fronteira entre o Zimbábue e a Zâmbia


Partindo do Zimbábue rumo à Zâmbia


De trem pela fronteira da Zâmbia com o Zimbábue


Caminhando abaixo da ponte que liga o Zimbábue à Zâmbia


Tour na estrutura da ponte que liga o Zimbabwe à Zâmbia

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias