Nosso grande objetivo no Zimbabwe se cumpriu de forma excepcional. Logo depois de sairmos do Stanley & Livingstone Private Game Park partímos para o reconhecimento do Parque Nacional das Cataratas Vitória, na fronteira entre Zâmbia e o simpático Zimbábue.

The smoke that Thunders, ou ao pé da letra na língua portuguesa: a fumaça que troveja, assim é a tradução para o nome original dessas cataratas (Mosi-oa-Tunya). Estamos aqui relatando nossas experiências descobrindo a região com a maior queda d’água existente no planeta, com mais de 1700 metros de extensão e pouco mais de 100 metros de altura. O primeiro ocidental a de fato contemplar as Cataraas Vitória foi o explorador escocês David Livingstone, batizando-a com o nome de sua Rainha Vitória (ainda no ano de 1855). De fato Livingstone foi um dos maiores exploradores europeus no Sudeste da África, desbravando países como o Zimbabwe, Zâmbia, Malawi, Quênia e Tanzânia, sendo também o principal responsável pela construção da ponte que conecta os dois únicos países que têm seus nomes iniciados pela letra Z (Zimbábue e Zâmbia), conectando as duas margens do Rio Zambezi.

As Cataratas Vitória no Zimbábue
As Cataratas Vitória no Zimbábue

Ambos os parques do lado zambiano (Parque Nacional de Mosi-oa-Tunya) e do Zimbabwe (Parque Nacional das Cataratas Vitória) foram inscritos como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO no ano de 1989. Visitamos apenas o lado zimbábueano, que pareceu-nos prover maior estrutura e ser mais interessante do que o lado da Zâmbia. Boa parte dos turistas que visitam o parque no país vizinho buscam as aventuras resguardadas aos corajosos que se metem no meio do rio para tomar um banho na piscina do diabo, um grande declive na crista das cataratas onde é possível tomar banho e tirar fotos alucinantes na época da seca (entre setembro até janeiro). Como estávamos no período de cheia do Rio Zambezi, não tivemos condições de conferir esse passeio, porém os nativos do local recomendaram bastante nosso retorno para visitar essa famigerada piscina. Entretanto, ficamos definitivamente satisfeitos com a fantástica vista panorâmica obtida neste passeio. Tanta água caindo ao mesmo tempo é de tirar o fôlego!

Victoria Falls: fronteira natural entre a Zâmbia e o Zimbábue
Victoria Falls: fronteira natural entre a Zâmbia e o Zimbábue

Estas quedas de água não são as mais vastas do planeta, tampouco as mais altas, porém são classificadas como as maiores cataratas do mundo devido a sua largura em extensão (1.708 metros), resultando no mais amplo conjunto de quedas em todo nosso planeta. Victoria Falls possui cerca de duas vezes a altura das Niágara Falls, na América do Norte, porém em altura e largura Victoria Falls é desbancada apenas pelas Cataratas do Iguaçu, na fronteira entre Brasil e Argentina.

A maior das cataratas - Vic Falls
A maior das cataratas – Vic Falls

Ainda não conheço as Cataratas de Niágara, porém já visitei as Iguaçu em várias oportunidades e posso confirmar que realmente as Cataratas Vitória possuem uma área em extensão mais ampla do que as quedas d’água de Foz. Existem duas ilhas na crista das quedas suficientemente grandes para dividir a cortina de água, mesmo em plena cheia do Zambezi: Boaruka Island (ou Ilha das Cataratas), perto da margem ocidental, e a Ilha Livingstone próxima do ponto mediano das quedas. As principais quedas e regiões são nomeadas respectivamente por: Catarata do Diabo, Main Falls, Rainbow Falls (o mais alto) e a catarata Oriental.

Sinceramente acredito que não houve melhor época do ano para visitar essas cataratas do que quando fui, no início do mês de março neste ano de 2014. Isso pois a seca é legal para quem quer se aventurar na piscina do diabo, porém a sensação de caminhar por sua rainforest é simplesmente inexplicável na época de cheias, justamente por isso estou anexando vários vídeos ao fim dessa matéria, para que você possa compreender melhor sobre o que estamos relatando por aqui. Devido à grande vasão das águas do Rio Zambezi, acontece um fenômeno muito interessante durante esse período do ano: uma chuva invertida que não para nunca, mesmo com sol a pino e céu azul. O spray das cataratas é tão forte que se eleva até as nuvens e volta para a terra parecendo chuva. Uma verdadeira tempestade para ser mais exato, onde é praticamente impossível caminhar sem se molhar!

Caminhando pela RainForest: a floresta onde nunca para de chover
Caminhando pela RainForest: a floresta onde nunca para de chover

E se molhar faz parte nesse passeio! Dispensei os ponchos que me foram oferecidos, apenas vesti a capa de chuva na minha mochila, guardei minha câmera DSLR e com a GOPRO à mão caminhei como uma criança pulando de poça em poça de água, feliz da vida por ter mais uma das maiores quedas de água devidamente registradas em meu currículo viajante. Convido a você que assista aos vídeos listados logo a seguir, afim de conseguir compreender melhor a amplitude desse fantástico destino turístico na fronteira entre Zâmbia e Zimbábue.

Veja os vídeos relacionados a esta matéria

http://www.youtube.com/v/kHTfQ_yYIBA
Cataratas Vitória no Zimbábue

http://www.youtube.com/v/4FmXiEjFt7c
Caminhando pela Rainforest nas Victoria Falls

http://www.youtube.com/v/GUPKrqQ3olI
Caminhando pela Rainforest nas Victoria Falls

http://www.youtube.com/v/_cvdhLj2z4E
Babuínos nas Victoria Falls

http://www.youtube.com/v/r918lGuhx3w
A Rainforest das Vic Falls no Zimbabwe

http://www.youtube.com/v/X7JTWJDLyFk
Estátua de Livingstone nas Cataratas Vitória

Serviço

O ZTA (Zimbabwe Tourism Authority) e o Parque Nacional das Victoria Falls proveram todo suporte necessário para a realização dessa atividade (tal como transfers/admissão).

Autor
Luiz Jr. Fernandes
Luiz Jr. Fernandes
Sou um analista de sistemas, fotógrafo, autor deste blog e viajante profissional. Já conheci mais de 70 países em todos os continentes do mundo. As minhas matérias são 100% exclusivas, inspiradas em experiências reais adquiridas nos destinos que visito. Obrigado por ler e acompanhar o meu trabalho.
Comentários do Facebook
2 comentários publicados
  1. Oi Luiz, muito bacana teu relato. Estou organizando minha viagem para a África. Ainda escolhendo onde ir. Como será em setembro, acho que animarei ir na ‘piscina do diabo’. Como tu organizou tua viagem? Com qual agência? Brasileira, africana? Tu iniciou pela África do Sul? Enfim, ainda estou cheia de dúvidas rsrs se puderes me dar uma ajudina, agradecerei 🙂 Abs, Suellen

    1. Olá Suellen, tudo joia?! Obrigado por sua visita e por deixar um comentário. Eu acabei não conseguindo conhecer a piscina do diabo pois na época não tinha como chegar até ela (sequer existia heheh). Eu tinha uma viagem para Roma e de lá comprei um voo da EgyptAir rumo a Harare, já no Zimbabwe. De Harare eu viajei até as Victoria Falls sendo acompanhada por representantes do Ministério do Turismo deste país (chiiiqqq né?!). O grande problema foi chegar até Harare, mas uma vez lá tudo é bem facinho e acessível, acredito que é facilmente um dos países mais desenvolvidos do sul da África. Se tiver qualquer dúvida me avise e eu tento te orientar no que conseguir para que a sua viagem sej um sucesso! Abração!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.