Dicas para viver Fernando de Noronha intensamente ao modo extra-econômico

Contrariando todas as estatísticas, previsões de que eu ia me dar mal, e principalmente satisfeito por adquirir as experiências sobre Noronha que estou prestes a compartilhar com vocês! Este também é um destino para quem não tem um mar de dinheiro na conta corrente - aprenda a viver Fernando de Noronha no modo extra-econômico, mas sem perder a intensidade ;)

Finalzinho de 2012 eu tinha uma empreitada prevista e inusitada para ser superada: viver o reveillon 2012 - 2013 no arquipélago de Fernando de Noronha sem estourar o limite do meu cartão de crédito ou sem ficar completamente quebrado por passar alguns dias em um dos destinos mais caros do Brasil. Queria ter conhecido Noronha na baixa temporada, mas como missão dada é missão cumprida topei a parada e viajei com a GOL, através do uso de milhas smiles adquiridas ao longo do ano anterior. As dicas começam antes da viagem ter acontecido: as passagens nacionais mais caras são as que levam o destino final a sigla FEN. Já cheguei a ver amigos comprando passagens de mais de R$ 2.000,00 pra esse destino, o que na nossa atualidade compra passagens até mesmo viagens para outros destinos mais longínquos (e paradisíacos também a propósito). Mas Noronha é sim esse paraiso todo e recomendo bastante que você siga um pouco das minhas dicas para que consiga desfrutar da forma mais simples e intensa possível das experiências que este destino oferece a seus visitantes.

Definitivamente a primeira das dicas mais importantes sobre esse tema é justamente a compra do ticket. É impossível viver Noronha no modo extra-econômico pagando valores estratosféricos assim como os que você vai encontrar de última hora em qualquer cia aérea. Estamos aqui falando do destino mais exclusivo do Brasil, e justamente por isso você pode começar a acreditar que dinheiro é um ponto determinante e divisor de águas - o poder aquisitivo pode transformar o rumo da viagem SIM, mas ele não é o principal mecanismo propursor da tão buscada felicidade! Mas convenhamos que poder gastar em um lugar como Noronha é algo que não vai fazer você deixar de conhecer e aproveitar intensamente as maravilhas dessa ilha. Eu posso afirmar com toda a certeza que as experiências mais marcantes nesses meus 6 dias nesse arquipélago não requeriram dinheiro, e acredite: a felicidade está nas pequenas coisas ;), nas mais simples, contentar-se com a beleza de um pôr do sol e se emocionar com isso é uma virtude para quem busca viver lugares com a vibração de Noronha da forma mais intensa possível - e para isso você só precisa estar lá.

Belíssimo pôr do sol com Morro Dois Irmãos ao fundo
Belíssimo pôr do sol com Morro Dois Irmãos ao fundo

Uma vez com a ideologia do parágrafo anterior fresca na memória, a dúvida que se seuge é a seguinte: como ter a passagem de avião para Fernando de Noronha da forma mais barata possível? Bom a resposta tem SEIS letrinhas: M I L H A S. E como ter as milhas? Bom, comece a traçar as suas estratégias, ler boas matérias sobre isso em blogs de viagem, e acima de tudo, consiga um cartão de crédito que converta bem o valor em dólar de suas faturas para as milhas da cia aérea que vai te levar pro paraíso brasileiro. É certo que só ter as milhas não é tudo, desde que é necessário também encontrar a melhor combinação entre quantidade de milhas e datas disponíveis para viajar. Essa é a fase que mais depende de planejamento, e se realizada com sucesso absoluto poderíamos considerar que metade dos custos extra-econômicos desta viagem estarão garantidos. No caso desta minha primeira experiência em Noronha, consegui emitir a ida e a volta com 20.000 milhas smiles, um verdadeiro resultado positivo de um bom planejamento de viagem: a passagem foi emitida com 11 meses de antecedência; emiti em fevereiro viajei em dezembro.

Uma vez com a passagem emitida chega a hora de fazer valer o seu tempo na ilha, afinal de contas não é todo dia que conseguimos emitir um ticket pra esse destino que mantém sua proporcionalidade entre preços altos X paisagens impressionantes. A primeira dica, a mais valiosa na minha opinião, é conseguir evitar a gigantesca fila que se forma para o pagamento da Taxa de Preservação Ambiental, obrigatória para todos os turistas que visitarão o arquipélago. Então meus caros, por quais motivos vocês desejariam ser recepcionados no paraíso por uma fila gigantesca com turistas exitados/mau humorados, atendentes aguniados e muita tensão pra desenrolar a parte burocrática? Faça-se o ótimo favor de pular essa parte e ir direto para a diversão! Para isso, emita a sua guia individual da TPA na internet, pague até o dia da viagem no banco e leve com você a guia/comprovante de pagamento para literalmente furar a fila na hora que desembarcar na ilha. Feito isso, é só recolher a bagagem e passar para o próximo passo: a hospedagem/deslocamento extra-econômicos em Fernando de Noronha

Filas intermináveis para pagar a TPA na chegada a Noronha
Filas intermináveis para pagar a TPA na chegada a Noronha

Noronha é uma ilha muito exclusiva, destino dos atores de televisão, das pessoas verdadeiramente endinheiradas do Brasil e que por incrível que pareça possuem grande amor e interesse por esse lugar para virar o ano. O meu planejamento foi falho nesse ponto, pois tudo na ilha estava muito mais caro! As datas comemorativas fazem os preços de praticamente tudo disparar, mas calma lá: ainda há lugar ao sol para quem quer viver dias no paraíso pagando barato e aproveitando ao máximo as experiências que a natureza exuberante oferece aos visitantes deste arquipélago! Considere ser uma ótima dica planejar a sua viagem na baixa temporada, os custos estarão todos mais acessíveis e consequentemente você terá condições de adquirir mais ítens que possam trazer certo conforto pra viagem (tal como o aluguel de um bug por exemplo annn?!)

A dica mais valiosa desse post é com relação á hospedagem! Fiquei realmente assustado ao começar a procurar por lugares para me hospedar e não encontrar absolutamente nada para esse período com uma diária com menos de 3 dígitos. Pesquisei de várias formas, em vários estabelecimentos e sempre todos estavam lotados ou com pacotes completamente impraticáveis para esse pobre rapaz latino-americano! Eu só queria desfrutar das praias, fazer mergulho de apnéia nos melhores lugares, não precisava de luxo, de um quarto só para mim, e tão pouco me importava com a qualidade dos alimentos que iria ingerir, eu queria fazer Noronha no modo extra-econômico, para provar pra mim mesmo que até aqui é possível que um viajante alternativo, sem muito dinheiro possa adquirir experiências para sua posteridade. Foi quando conheci a Dona Maria de Gouveia, uma maravilha de senhora, considerada e respeitada como uma verdadeira avózona da Ilha de Fernando de Noronha. Ela, assim como vários outros moradores nativos, fazem questão de oferecer cômodos de suas residências como alternativas de hospedagens mais acessíveis, justamente pra quem não consegue comprar os pacotes dos hotéis de padrão mais elevado.

Hospedagem barata em Noronha
Meus aposentos e minha anfitriã em Fernando de Noronha

Dona Maria de Gouveia e sua família, especialmente seu neto Robson, foram anfitriões extremamente agradáveis, super-amigáveis, me direcionaram sempre que tinha dúvidas, e me receberam em sua residência literalmente me salvando de uma grande encrenca. Como não havia conseguido um lugar para ficar até os últimos minutos da viagem, conheci Dona Maria através da indicação do Diogo Jobane, meu grande brother de viagens, que estava também presente em parte deste fim de ano em Noronha. Entrei em contato com ela ainda faltando algumas semanas para o dia da viagem e como toda a ilha, ela também já não tinha vagas disponíveis para me hospedar. Eu estava já começando a pensar na possibilidade de ficar pelas ruas, ou de dormir na igreja, quando mencionei a ela que não teria nada, e ela gentilmente, sempre sorridente, fez questão de me convidar a ficar na sala da casa dela, revesando alguns dias dormindo em um colchão no chão e outros nas deliciosas redes que ficam do lado de fora da casa dela. Foi um espetáculo que ficará na minha memória para sempre! Dona Maria gentilmente me cobrou meros R$ 30,00 por dia que ficasse hospedado naquelas condições (que a propósito eram as melhores possíveis para os meus planos!). É claro que a ela não vai fazer isso pra qualquer pessoa que chegar, inclusive disse que nós fomos os primeiros malucos a alugar a sala e as redes da casa dela :D

Casa de Dona Maria de Gouveia na Vila dos Remédios
Casa de Dona Maria de Gouveia na Vila dos Remédios

Esse pessoal é único na Ilha. Assim como eles existe um associação de moradores que legalizou a parada e a partir de então eles disponibilizam quartos e serviço básico para quem desejar conhecer Noronha sem destruir a estabilidade financeira. Na alta temporada tudo é lindo, eles tem dinheiro para pagar as dívidas, para estruturar melhor a vida, mas quando vem a baixa então a situação fica complicada por lá. Em minha estadia a água doce mostrou-se como um grave problema para quem não tem muito dinheiro. Como ter água potável em uma ilha isolada no meio do Atlântico? Essa é uma situação que faz parte da rotida deles durante todos os dias do ano.

Uma vez no aeroporto, peguei o coletivo para a Vila dos Remédios. Chegando na casa de Dona Maria, a emoção foi generalizada! Nos abraçamos, ela me disse que deveria planejar com mais tempo na próxima vez e já deixar reservado as minhas diárias com bastante antecedência para não ter problema algum com a falta de disponibilidade! Me apresentou a todos da família dela e ali estava eu, completamente pronto e ávido por conhecer o modo de vida dessa humilde e feliz família, nativos de Fernando de Noronha. Com o passar dos dias eles me indicaram os melhores lugares para fazer mergulho livre, me deram o caminho das pedras para conhecer os melhores pontos da ilha, me apresentaram para guias como o Lombra Eterna, um cara excepcionalmente ALTA VIBRAÇÃO, conhecedor de todos os centímetros de Noronha e que faz os passeios mais importantes da Ilha como guia oficial, devidamente registrado na Embratur. Ele ainda vai aparecer no blog em outra oportunidade na qual vamos documentar a experiência que vivenciei junto a grupo guiado pelo Lombra para conhecer umas piscinas naturais. Aqui também conheci o Gilmar! um cara super gente fina, guia de turismo que faz preços mais acessíveis e que também realiza alguns dos principais passeios da Ilha (tal como o das piscinas do Atalaia - que só pode ser feita com guia). Ambos são hiper indicados por mim, são amigos meus que me acompanharam pelos dias que estive por lá e que com certeza merecem essa recomendação devido ao brilhante trabalho que realizam com os turistas na Ilha, sem explorações, cobrando preços justos e ofertando um ótimo nível de serviço.

Gilmar e o Lombra - os guias que eu indico pra Noronha!
Gilmar e o Lombra - os guias que eu indico pra Noronha!

Foi na casa de dona Maria que aprendi a comer pagando muito barato em Fernando de Noronha. Apesar deles nunca deixarem eu ficar com fome, pois sempre estavam me oferecendo uma iguaria ou outra feita muitas das vezes pela própria anfitriã, eles me deram uma dica super-importante e deliciosa, essêncial para quem quer viver Noronha pagando barato - a quentinha (marmita) do Valdênio! Por R$ 12,00 eu estava comendo filés de anchova com salada, arroz branco soltinho, feijão em caldo e uma porção bem generosa de macarronada! Ah, sem contar que tinha o refrigerante incluso por esse preço! Eu almoçava já esperando com muita ansiedade pela hora de almoçar novamente no dia seguinte! No jantar também não tinha segredo! A Venda da Mainha, que fica exatamente em frente a casa de Dona Maria de Gouveia serve lanches até tarde da noite, hamburguers realmente gigantesco, pastéis e outras delícias também por preços bem acessíveis, até mais econômicos do que na minha própria cidade. Ao lado, descendo para a praia do Cachorro ainda tem uma senhora que vende cachorro-quente quase todos os dias, outra delícia extra-econômica! Mas se você ainda sim tem uma graninha sobrando e quer investir na culinária, Noronha está cheia de restaurantes que com um pouco de pechincha podem sair a preços bem justos! Bom a especulação por aqui também é a alma do negócio! Outra bela dica de comida barata em Noronha é o peixe na folha de bananeira vendido nas barracas próximas da praia da Cacimba do Padre! Paguei menos de R$ 20 em um belo peixe só para mim, servido com arroz, salada, farofinha e pirão - saudável, barato e de sabor extremamente local! Também utilizei outra ótima técnica: comprar os ingredientes pra fazer lanches no mercadinho local na Vila dos Remédios - uma sacada de pães quentinhos, maionese, queijo e salame pode ser uma refeição deliciosa pra não perder muito tempo!

Comida boa e barata em Fernando de Noronha
Comida boa e barata em Fernando de Noronha

E como se virar para fazer os passeios sem pagar caro? Bom, essa é outra dica de ouro que essa matéria traz pra vocês. Simplesmente viva a vida como se estivesse na sua cidade. Eu peguei coletivo e carona para todos os lugares que queria visitar, e caminhei, mas caminhei MUITO! Eu amo caminhar em lugares paradísiacos até sentir a sola do meu pé pulsando sem parar, e em Noronha não foi diferente. Construí meu próprio ilhatur, tracei objetivos e conheci os pontos principais sem precisar de gastar praticamente dinheiro algum! É claro que de certos custos é impossível fugir, tais como a entrada no Parque Marinho, locação de coletes (no Sueste é obrigatório) e outros gastos adicionais que não são tão relevantes. A foto a seguir fiz sem gastar um real sequer!

Mergulho de um pássaro em ataque a um cardume de sardinhas
Intensidade no Sancho

Imagine-se no meio dessa atividade toda! Cardume de sardinha que perdia de vista, os pássaros fazendo seus mergulhos por todos os lados e uma câmera a prova dágua na mão, a combinação perfeita para uma tarde intensa no Sancho, a mais bela praia brasileira. A última dica? Siga o blog e aguarde as próximas atualizações! ;)

 

Telefones Úteis

HOSPEDAGEM - Maria de Gouveia - (81) 3619-1827
HOSPEDAGEM - Marta - (81) 3469-1988
ALIMENTAÇÃO - Quentinhas do Valdênio - (81) 3619-1872
GUIAS - Lombra Eterna - (81) 9968-8251
GUIAS - Gilmar -

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias