Nesta matéria, vamos falar um pouco mais sobre comida em San Andrés. Se existe algo importante em uma viagem a um novo país, este algo é comer – eu diria que é mais do que uma necessidade – comer é arte! É imergir-se na cultura e nos costumes locais, é abrir mão do seu desejo de arroz com feijão para se aventurar na descoberta de novos paladares!

E tão importante quanto mergulhar, subir montanhas, explorar praias e lugares incríveis, para este viajante que vos escreve, comer é parte essêncial da viagem e não abro mão do sabor local para comer em fast-foods – eu gosto de sentir o sabor da comida que as pessoas costumam consumir no seu dia a dia, e pra isso eu ralo! Ralo pois não é fácil descobrir aquela “comida de rua” que realmente vale a pena. Ao viajar para lugares como San Andrés, eu sinto prazer em descobrir aquela empanadinha que é vendida das 8 até as 9 horas na esquina do Pollo Kikiriki, bom isso pra mim é arte e é componente fundamental das minhas viagens.

Comida em San Andrés

Não poderia ter sido diferente em San Andrés e Providência. Saí pelas ruas a procura dos lugares que os locais mais curtem comer, passei alguns bons momentos apenas estudando os melhores comedores, aqueles que ficavam sempre com fila e que as mesas estavam sempre cheias, isso era um indício forte de comida boa e barata 😀 Bom, o tradicional prato “menu” era constituido basicamente por peixe frito (que também poderia ser trocado por frango, bisteca e afins), arroz preparado com côco, ou o nicaraguense gallo pinto (tipo um baião de dois com tempero bem típico que lembra América Central!!), saladinha, fruta pão (frita) e uma bananona prata também frita. Isso você consegue em boa parte dos restaurantes, alguns na orla da praia por alguns pesos colombianos a mais do que os outros entre as esquinas do centrinho 😀

Arroz de côco, pescado frito, fruta pão, saladinha e uma bela banana frita
Arroz de côco, pescado frito, fruta pão, saladinha e uma bela banana frita

Como sempre na Colômbia existe a tradição da sopinha antes do prato principal, que nesta oportunidade foi de pescado! Como estava em uma ilha duty free, acabei comprando uma Royal Dutch gelada pelas ruas antes de tomar o meu lugar neste restaurante. Uma comida explêndida! Realmente muito boa, com um atendimento que fez o diferencial, sorrisos de uma orelha a outra por atender o brasileiro blogueiro 🙂

E o que não falta na Colômbia são snacks. Se passar umas horas e o peixe já tiver sido triturado pelos ácidos estomacais que supitaram pelos montes de atividades que você vai realizar em San Andrés, então o melhor é fazer uma boquinha pelas ruas mesmo! E nessa hora, nada melhor do que empanadas, de frango, carne, queijo ou a minha preferida caranguejo! É comum em San Andrés você encontrar os nativos com banquinhas de comidinhas pelas ruas, aí são fontes riquíssimas de comida boa e barata. Ah, e não esqueça de abusar na salsa caliente!

Empanadas e espetinhos de frango/linguiça de peixe
Empanadas e espetinhos de frango/linguiça de peixe

E como bom gaúcho-goiano que sou, eu não poderia nunca deixar de experimentar os espetinhos de carne de vaca, frango e a principal pedida da casa: linguiça de peixe 😀 é ou não é de dar água na boca! E tudo muito baratinho! Cada empanada tava saindo por uns 2.000 COP (que vale algo como R$ 2,15) e os espetinhos por 5.000 COP (muuuuito bem servidos!). Agora quer algo bem servido? Bom, mas realmente BOM E BARATO? Tá aí, não erre na pedida: panchito!

Carrinho de Hamburguesas com Panchos a 3.000 COP
Carrinho de Hamburguesas com Panchos a 3.000 COP

Um mar de tortillas sob uma densa camada de molhos caseiros em um pão com o dobro do tamanho dos utilizados nos cachorro-quente brasileiros. Ah, e de recheio eu escolhi linguiça caseira, eu estava me aventurando :D, mas aventura mesmo você encontra facilmente pelas ruas do centro ou em um ponto tradicional que você vai acabar encontrando caminhando pelo calçadão que margeia a praia: existem umas senhoras que montam uma mesa lotada de iguarias bem caseiras da cozinha colombiana. Ae meu estimado leitor, quando você para em frente a uma mesona assim, tão gigante, tão lotada de coisas gostozas, você precisa de um tempo pra processar as coisas entende?! O que comer? Será que é bom? Azedo, amargo, doce ou salgado? Bom, eu sempre faço questão de assistir a uns 5 pedidos antes de me decidir. Mas nesse caso aí da foto a seguir eu já tinha minha opinião bem formada!

Comida caseira pelas ruas de San Andrés
Comida caseira pelas ruas de San Andrés

E o que eu optei!? Por camarones! Sim! me encantam!

Empanadas de Frango e Caranguejo e ceviche de camarão
Comida em San Andrés: Empanadas de Frango e Caranguejo e ceviche de camarão

Mas também fiz questão de experimentar a casquinha (aliás, cascona!) de siri! E fiquei por ali algum tempo estudando um pouco mais os pratos, como eram servidos e tudo mais…, o ceviche que escolhi vinha acompanhado por umas bolachinhas (galletas), e bastante molho de limão, de quebra pedi o mesmo com salsa picante!

Bom, mas eu entendo se você não é muito fã de comida de rua, afinal de contas não é todo mundo que suporta novos e excêntricos sabores. Para esses eu recomendaria comer em lugares como o Fisherman Place, um restaurante que tem preços mais elevados do que o das ruas, mas que não é nada impraticável! Pelo contrário! Eu diria até que tem um preço bem econômico pela qualidade de seus pratos! Meu pedido foi um pescado a la plancha! Um grosso filé de pescado acompanhado por arroz, as bananas prata (prensadas e fritas), que junto com o limão e a salsa picante fizeram disso o aperitivo ideal para a vista que eu estava contemplando!

O Peixe a la plancha do Fishersman Place
O Peixe “a la plancha” do Fishersman Place

Ah! Depois de terminar tudo foi só caminhar pela praia e encontrar um belo lugar para cochilar! E aí? Deu água na boca?!

Comida em San Andrés: Pescado fresco e a vista de Jonnie Cay
Comida em San Andrés: Pescado fresco e a vista de Jonnie Cay

Pescado fresco e a vista de Jonnie Cay

Até a próxima matéria sobre San Andrés!

Autor
Luiz Jr. Fernandes
Luiz Jr. Fernandes
Sou um analista de sistemas, fotógrafo, autor deste blog e viajante profissional. Já conheci mais de 70 países em todos os continentes do mundo. As minhas matérias são 100% exclusivas, inspiradas em experiências reais adquiridas nos destinos que visito. Obrigado por ler e acompanhar o meu trabalho.
Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.