Olá amigos e amigas que acompanham o blog, tudo bem com vocês?! Por aqui tudo show! Estou aqui hoje para escrever um tutorial sobre as Ilhas Maldivas e contar um pouco mais da experiência que tive ao visitar algumas das melhores ilhas localizadas em 2 dos principais atóis desta nação espetacular.

Aqui quero mostrar pra você como é possível fazer com que sua viagem para as Maldivas fique barato, sensacional e repleta de experiências reais e tipicamente relacionadas com o modo de viver a vida nas Maldivas.

Quando eu estou a explorar lugares incríveis como já fiz em Seycheles, ou ainda na Polinésia Francesa, gosto de ter a possibilidade de experimentar a vida como ela é para o povo local. Em todos os lugares do mundo existem viagens para “ricos” e para “pessoas normais”. Eu poderia viajar para as Maldivas e ficar 14 dias em um ou dois resorts de alto nível (se tivesse grana pra pagar por isso rsrs…), contudo eu optei por conhecer as Maldivas verdadeiras, com o pé na areia eu andei no meio dos vilarejos, conheci o povo local, comi as comidas regionais, isso é viajar meus amigos(as).

Ilhas Maldivas onde fica
Onde ficam as Maldivas

Ilhas Maldivas: Onde Fica

Começar do começo então né?! As Maldivas estão localizadas no Oceano Índico, bem próximas do sul da Índia. É possível chegar até elas de várias maneiras, contudo não há um “voo direto” entre Brasil e Maldivas.

As melhores maneiras de viajar para as Maldivas é combinar voos para “hubs” regionais no Oriente Médio, ou até mesmo na Europa. No meu caso conheci as Maldivas a partir de uma viagem que estava fazendo já pelo Irã, Omã e Qatar.

Maldivas onde fica

Desde Doha eu consegui reservar um voo muito barato para as Maldivas em um programa de milhas e um belo dia desembarquei na ilha principal: Malé, a capital das Maldivas.

Ilhas Maldivas Mapa

A primeira dúvida que veio à mente logo no dia que desembarquei em Malé foi exatamente a seguinte: e agora, o que fazer?! Eu não tinha nada planejado (uma loucura a propósito). Já que o objetivo era explorar as ilhas locais e não ficar em resorts, deixamos nos levar pelas oportunidades que fomos encontrando pelo caminho.

Ao chegar no aeroporto de Malé existiam duas alternativas observando as ilhas maldivas por um mapa…, ou viajamos para outros atóis, ou ficamos por perto de Malé. Penso que como existia tempo disponível para viajar para outros destinos, a melhor alternativa foi então pegar um ferry boat e ir encontrar uma hospedagem em Malé para sair no dia seguinte para outro atol.

Eu não recomendo que você se lance à sorte como eu fiz, sem sombra de dúvidas a melhor alternativa é planejar a viagem com antecedência, escolhendo as ilhas que deseja conhecer e tendo em mente a logística que deverá ser executada, até mesmo pq não vale a pena ficar na ilha principal com tantos lugares espetaculares a serem visitados nas outras ilhas.

Mas pense bem, não é de ter dúvida mesmo!? Poxa vida, uma viagem pras Maldivas é algo que pode ser único na vida, não é fácil decidir entre as milhares de ilhas que existem a serem visitadas. Então o planejamento antecipado pode fazer com que você não perca tempo em deslocamentos ou na capital.

Ilhas Maldivas Fotos

Logo no dia seguinte nós seguimos adiante para um porto do outro lado da ilha principal e pegamos um ferry lento para a capital de outro atol, o destino da vez seria Mahibadhoo, uma das ilhas mais bonitas do Atol de Ari do Sul.

A seguir eu compartilho algumas fotos desta ilha que eu conheci como um trampolim para visitar lugares ainda mais remotos.

 

Lugares para ir nas Maldivas

A seguir eu compartilho com você algumas das ilhas que eu conheci nessa viagem. Esses lugares são alguns dos mais visitados por viajantes que assim como eu, não querem ficar em resorts e preferem se hospedar em lugares mais econômicos para maximizar a possibilidade de conhecer ilhas diferentes.

1 – Maafushi

A ilha local que recebe mais visitantes nas Maldivas. Eu deixei essa ilha para visitar por último pela sua proximidade com o aeroporto internacional das Maldivas.

 

É uma ilha local muito bem estruturada, possui excelentes alternativas de hospedagem, alimentação e passeios, na realidade Maafushi é considerada um hub para visitar e explorar ilhas menores que ficam no mesmo atol.

2 – Gulhi

Uma ilhota bem pequena que fica perto de Maafushi. Frequentemente os passeios que saem de Maafushi também passam em Gulhi para que os turistas tenham a experiência de alimentar arraias e passear/desfrutar das praias espetaculares dessa ilha.

É uma boa alternativa caso você opte em se hospedar em um lugar com ares mais remotos e desérticos, desde que a ilha é de fato muito pequena, possui poucas alternativas de hospedagem e consequentemente recebe menos visitantes do que a vizinha Maafushi.

3 – Fulidhoo

Este é outro destino que vale a pena conhecer nas Maldivas caso venha a visitar Maafushi. Fulidhoo é uma pequenina ilha que faz parte do Atol de Vaavu, sendo bem frequentada por apaixonados por mergulho e esportes aquáticos.

Fulidhoo
Fulidhoo

Um pouco maior que Gulhi, esta ilha tem mais alternativas de hospedagem, alimentação e a partir dela também é possível conhecer outros lugares outras ilhas/resorts para day-use, como a Cocogiri Island Resort, ou ainda o Nakai Resort das Maldivas.

4 – Mahibadhoo

É a principal ilha do Atol Ari do Sul, um dos lugares que você vai ter que passar de uma forma ou de outra para ir adiante e conhecer ilhas como Mandhoo ou Dhangethi e Dhigurah.

Veja que é possível conhecer ou fazer passeios até essas ilhas saindo de Maafushi, mas a logística e o custo podem não compensar. Afinal de contas você não vai querer passar correndo por essas ilhas, elas são lindas demais para serem desfrutadas em apenas um dia.

Mahibadhoo
Mahibadhoo

O que eu recomendo é que fique entre um e dois dias no mínimo nas ilhas do Atol Ari do Sul. Se você pegar o ferry lento saindo de Malé assim como eu fiz, poderá demorar até 4 horas de navegação em mar aberto para chegar de Malé a Mahibadhoo, sendo assim não compensa viajar tanto para ficar pouco tempo na região.

Se não tem muito tempo, pode ser uma alternativa contratar o passeio em Maafushi para ver os tubarões baleia, quase sempre o lugar da visitação é feito perto de Dhigurah e a viagem é em barco rápido, então pode ser uma alternativa casar o passeio com o deslocamento de Maafushi para Dhigurah direto sem perder tanto tempo com o barco lento.

5 – Mandhoo

Esta ilha entrou no meu caminho por acaso. No dia seguinte à chegada em Mahibadhoo encontramos um barco lento que demoraria pouco mais de uns 40 minutos para chegar até Mandhoo, uma ilha mais remota e “simples” do que as outras que havíamos passado até então.

Nós fizemos a loucura de sair de Mahibadhoo sem hospedagem reservada em Mandhoo (kkk), quando chegamos lá só tinham duas pousadas e elas estavam lotadas….

Mandhoo
Mandhoo, uma ilha repleta de verde por todos os lados

Eu dormiria facilmente em qualquer lugar numa ilha tão linda como aquela, mas o básico sempre é muito bom: chuveiro pra tomar banho de água sem sal, uma cama confortável, comida..), lá não tinha praticamente nada aberto, então usamos nossa camaradagem brasileira pra encontrar uma alma bondosa que nos colocou pra dentro de uma das últimas habitações disponíveis na ilha (por meros 200 reais a diária).

Se o lugar vale a pena?! Veja as fotos a seguir e dia você mesmo nos comentários:

6 – Dhigurah

Essa ilha foi literalmente um sonho. Puxa vida, um dos lugares mais lindos que já fui na vida. Virou o papel de parede do meu computador do escritório desde então.

Dhigurah é um paraíso no meio do atol Ari do Sul e nós conseguimos chegar nela em um deslocamento de cerca de uns 30 a 40 minutos em uma lancha rápida que custou salgado: 50 dólares por pessoa.

Contudo quanto vale o tempo em um lugar assim? Impagável eu diria…

Dhigurah
Dhigurah

Em Dhigurah encontramos ótimas alternativas de hospedagem, comida local excelente e barata, praias de explodir a cabeça de tão lindas que eram e o povo local muito amigável como sempre.

Se valeu a pena ficar dois dias nessa ilha?! Eu ficaria uma semana inteira novamente sem me arrepender.

7 – Dhangethi

Depois de visitar tantos lugares nós pegamos um ferry lento que demorou uns 15 minutos e chegamos a Dhangethi, um dos últimos destinos antes de fazer o roteiro de volta de Maahibadhoo até Malé.

Dhangheti
Dhangheti

Essa ilha é mais simples que a sua vizinha Dhigurah, porém tão linda quanto. Tem uma bikini beach bem legal, tem alternativas econômicas e confortáveis de hospedagem. E também tem comida, barata e deliciosa.

8 – Malé

Eu não consegui gostar de Malé em nenhum momento…, mas sem planejamento ela é inevitável. Malé é caótica, lotada de gente, uma das maiores densidades populacionais do planeta. Contudo se você não planejar uma saída/retorno direto do aeroporto, vai precisar passar por ela de um jeito ou de outro pra chegar a ilhas mais remotas.

Se o seu destino é Maafushi, não perde tempo não, pague os 25 dólares de lancha rápida desde o aeroporto e rompa na brincadeira…, não vai valer a pena ir até Malé pra achar algo mais em conta para chegar a Maafushi ou outras ilhas.

Maldivas barato

E aí Luiz, as Maldivas são ilhas baratas?! Depende do seu perfil de viajante. Gosta de um resort? Vai ser caro! Quer uma bebidinha alcóolica!? Vai ser caro (e às vezes impossível). Quer fazer uma viagem mais chique?! Vai sair muito caro.

Resort nas Maldivas
Resort nas Maldivas

Agora eu te pergunto: você gosta de viver como os locais?! Não se importa com o lugar onde vai dormir ou o que vai comer!? Consegue ficar sem uma caxacinha por uns dias para viver em troca a explosão de vida marinha e de quebra conhecer algumas das praias mais bonitas do planeta? Então as Maldivas são baratas e super possíveis, o mais caro sem dúvidas vai ser chegar até elas.

Hospedagem barata nas Maldivas

Cole nas pousadas. Explore as alternativas de reserva: Booking, hotéis.com, airbnb, entre outras plataformas podem te entregar excelentes alternativas de hospedagens dentro do seu orçamento possível.

Em alguns casos pode ser interessante até mesmo ir adiante e já deixar a reserva pronta para as ilhas que você tem a certeza que vão estar em seu itinerário, assim você evita se meter em roubadas ou problemas com hospedagens como eu tive em Mandhoo.

Vejo que a melhor forma de fazer uma reserva de hospedagem barata nas Maldivas é explorar alternativas disponíveis na internet: use e abuse do Google Travel. Tem uma infinidade de conhecimento gratuito nesta plataforma e sem dúvidas você vai conseguir entender melhor como funcionam as ilhas, quais são os melhores roteiros e alternativas de hospedagem.

O que comer nas Maldivas

Quando optamos por viajar no modo econômico nas Maldivas, sabíamos que uma parte complicada seria essa: o que comer nas Maldivas. Bom, antes de viajar eu andei lendo e vi que sempre era possível encontrar restaurantes que serviam a população local a um preço mais acessível.

Não é o caso de outros destinos em que optamos por reservar casas ou apartamentos e cozinhamos para economizar nos restaurantes. Aqui a parada é justamente o contrário: é melhor comer na rua.

Eu encontrei vários restaurantes que serviam pratos típicos da culinária local e a um custo muito bom. Tem de tudo: de sanduíches a pratos simples com peixe, frutos do mar, frango, noodles, dá pra passar bem 🙂

Tem supermercado nas Maldivas?

Eu não encontrei um supermercado muito grande, mas quase sempre eu encontrava lojinhas e mini mercados onde era possível comprar os suprimentos básicos, alguma bebida, snacks e coisas para a higiene/saúde pessoal.

Encontrei protetor solar e bronzeador em todas as ilhas, afinal de contas ter um protetor solar nas Maldivas é quase que um item básico de sobrevivência kkk

Como funciona a vida local fora dos resorts nas ilhas locais

Ela é muito pacata. Eu gostei demais de caminhar nas ruas de areia e conversar com locais sem ter pressa. É uma vida humilde, diferente do que encontraríamos dentro de um resort construído sobre as águas.

As pessoas costumam se reunir pra ver um jogo de futebol (em quase todas as ilhas que eu fui haviam campos de futebol comunitários), ou ainda jogam conversa fora na porta de suas casas.

Todas as ilhas que eu visitei possuem alternativas para viajantes a baixo custo, quase sempre vai ser necessário desembolsar um bom dinheiro com a trinca: hospedagem, alimentação, deslocamento.

Já é bom deixar um orçamento reservado à parte para realizar também as experiências: tem passeio de barco para bancos de areia inabitados, snorkel com animais exóticos, muita adrenalina rola nas Maldivas todo santo dia, então é importante entender que parte da grana investida na viagem vai retornar como benefício próprio para as memórias de cada viajante.

Concluindo

Curtiu a matéria?! Bem legal os lugares, fotos e experiências obtidas em um passeio desse né?! Bom, esta foi uma das viagens mais legais que eu fiz nos últimos anos, e isso sem precisar ingerir uma gota de álcool sequer! (Confesso que a primeira cerveja depois da viagem desceu até doce!)

Se você gostou mesmo das minhas dicas, então siga adiante e deixe um comentário na caixa que vem logo abaixo. Se não gostou deixe um comentário também pra me animar a melhorar os posts kkk. Agora se você tem uma dica legal para colocar nesse post para iniciantes nas Maldivas, não hesite em deixá-la nos comentários, é um prazer interagir com vocês por aqui.

Grande abraço e até a próxima pessoal 🙂

Autor
Luiz Jr. Fernandes
Luiz Jr. Fernandes
Sou um analista de sistemas, fotógrafo, autor deste blog e viajante profissional. Já conheci mais de 70 países em todos os continentes do mundo. As minhas matérias são 100% exclusivas, inspiradas em experiências reais adquiridas nos destinos que visito. Obrigado por ler e acompanhar o meu trabalho.
Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.