Olá pessoal, tudo bem com vocês?! Espero que sim! Tô aqui hoje para compartilhar algumas dicas sobre um assunto que praticamente todo mundo anda me perguntando ultimamente: Maldivas barato, será mesmo possível?! Ou seria uma ilusão minha ao afirmar para vocês que recentemente eu fiquei uns 10 dias perdido naquele paraíso pagando uma média de 200 reais por dia?!

Não meu ilustre amigo(a), não é ilusão de jeito nenhum. É a mais pura realidade.

Recentemente fui abençoado de conseguir viajar para as Maldivas e conhecer as ilhas de Malé, Mahibadhoo, Mandhoo, Dhigurah, Dhangethi, Maafushi e Fulidhoo. Eu desvendei na prática esse mito de que as Maldivas estariam entre alguns dos destinos mais caros do mundo ao conseguir executar uma viagem super econômica e proveitosa, descobrindo alguns dos lugares mais paradisíacos que eu poderia um dia imaginar que conseguiria visitar.

Mahibadhoo
Brincando no banco de areia em Mahibadhoo

Esse é um post para resumir as minhas principais estratégias e táticas que me permitiram ir além e explorar as Maldivas a um custo realmente muito em conta. Até já escrevi uma outra matéria mais completa sobre as ilhas baratas nas Maldivas que pode complementar bem a sua leitura, contudo aqui vou resumir basicamente os 4 tópicos principais para você focar e fazer aquela viagem de sonhos se transformar em realidade.

Maldivas barato: será possível mesmo?!

É mais do que possível. É acessível, pode ser bem barato e super divertido. Claro que também não é fácil, já que se fosse todo mundo faria né (vide os casais que passam a lua de mel em Caldas Novas aqui em Goiás hehe). Acontece que quando a maioria das pessoas pensa nas Maldivas, já imediatamente vem lembrar daqueles bangalôs que fica sobre as águas, champagne estourando na piscina com borda infinita, passeios de jetski, mergulhos, entre outras atividades que realmente são muito caras por lá.

Acredito que o principal desafio para conseguir fazer uma viagem nas Maldivas barato, começa sem dúvidas pelas emissões dos voos que vão fazer você sair do Brasil e chegar nas Maldivas (ou ao menos perto dela). Veja que existem diversas formas de chegar até a principal ilha das Maldivas, vamos falar um pouco mais de voos e emissões nos tópicos a seguir, entretanto uma vez nos arredores dessas ilhas maravilhosas você vai conseguir fazer uma viagem muito econômica se seguir as minhas dicas à risca.

Mandhoo, outra ilha bem baratinha
Mandhoo, outra ilha para fazer as Maldivas barato

Como viajar barato nas Maldivas

Se você não se importar em ficar numa hospedagem mais simples e local, se abrir mão dos famigerados bangalôs sobre as águas, de tentar se embriagar em um país que é muçulmano e não permite sequer a entrada de álcool pelo aeroporto, ainda assim, se você priorizar algumas experiências e abrir mão de outras, vai conseguir SIM fazer uma viagem muito econômica nas Maldivas. A melhor forma de começar a fazer uma viagem pras Maldivas barato vai ser ao optar por abrir mão da luxúria, conseguindo assim experimentar o melhor do que a natureza exuberante dessa região do mundo tem a te oferecer.

A primeira dica para quem quer fazer as Maldivas barato é sem dúvidas controlar o desejo de adquirir coisas luxuosas que existe dentro de você.

Não costumamos estourar garrafas de champagne todos os dias em casa. Tampouco temos piscinas com bordas infinitas com vista para um mar estonteante.

Se isso é muito caro aqui no Brasil, com certeza vai ser mais caro ainda nas Maldivas. Então a minha dica de ouro para quem quer fazer as Maldivas pagando mais barato é a seguinte: tente não fazer nas Maldivas o que você não faria em um dia útil de semana na sua cidade.

Ah Luiz, mas é férias.

Ok! É férias! Mas você não quer algo barato?! Então!! A seguir eu vou comentar cada um dos tópicos mais importantes para você conseguir manter o seu limite de gastos no tamanho razoável e evitar com que o seu cartão de crédito arrebente antes mesmo de sair do Brasil.

Beleza intocada das Maldivas
Beleza intocada das Maldivas em Mandhoo

Maldivas barato: Como chegar – emitindo voos do Brasil pras Maldivas

O primeiro tópico, que na minha opinião também é o mais importante: emitindo um voo barato para as Maldivas. E voo barato não quer dizer voo em econômica não viu gente. É voo barato mesmo! A dica aqui é muito simples: junte pontos e milhas! A emissão com milhas e pontuação obtida com cartões de crédito pode ser infinitamente mais barata do que seguir adiante com uma reserva direto em uma cia aérea internacional. Eu até contei um pouco mais sobre isso no último post que eu fiz sobre as Maldivas, você pode ler ele clicando aqui.

Se você pesquisar por voos baratos para as Maldivas em qualquer site de cia aérea, ou ainda usando as dicas que eu compartilhei sobre como encontrar e reservar voos baratos no Google Flights, vai perceber que é muito difícil encontrar voo pras Maldivas por menos de R$ 3 a 4 mil reais. Isso em ECONÔMICA. De fato não é o destino mais barato para se visitar saindo direto do Brasil.

Mar azul esverdeado nas Maldivas
Mar azul esverdeado nas Maldivas

Se você não tem as manhas de mexer com esse negócio de ponto de cartão, acumular milhas, ou ainda transferir pontos pra ganhar milhas, então eu recomendo que você passe a monitorar os voos que saem do Brasil rumo a destinos que são considerados “hubs” para quem está pensando em visitar as Maldivas. E quais seriam esses destinos? Emirados Árabes, Qatar, Índia e países vizinhos podem ter voos mais econômicos partindo do nosso país do que direto pra Malé, a capital das Maldivas. Outra alternativa seria embarcando em um voo direto pra Ásia e de lá procurando emitir a ida/volta para as Maldivas (tem voos muito baratos pras Maldivas saindo da Malásia ou Tailândia).

Sabendo que os voos comprados podem ser mais caros e complicados de serem encontrados, se eu fosse planejar HOJE uma nova viagem para as Maldivas eu ainda optaria por acumular pontos (por exemplo no Livelo) e depois faria a transferência (bonificada de preferência) para um programa de fidelidade (Smiles?!) de uma cia aérea que possui parcerias interessantes com linhas aéreas que vão próximo ou até mesmo direto pras Maldivas. Uma vez acumulando pontos suficientes, você pode mandar ganhando 100% pro programa de fidelidade e começar a labuta pra encontrar trechos que vão te conectar ao paraíso. Uma alternativa legal também pode ser tentar a emissão pra Europa (via AirItália?!) e dali ir conectando/comprando novos voos até chegar ao destino final.

Considere que mesmo comprando pontos e transferindo com bonificações, você ainda vai gastar um valor considerável do seu orçamento apenas para conseguir chegar nas Maldivas. Para conseguir chegar ao seu objetivo, adquirindo o ticket que vai te levar pra essas ilhas, pode ser interessante se associar a um clube de pontos (Clube Livelo, Clube Smiles, etc..) e ir juntando pontos ao longo dos meses/anos. Assim você consegue diluir o valor do seu investimento ao longo do tempo que prepara a viagem e no fim das contas o maior custo do seu projeto vai ser vencido sem “ser sentido” 😀

Viagem nas Maldivas pagando menos: Hospedagem nas Maldivas e deslocamentos

Tá legal. Agora você tem os voos. Já tem data pra chegar e pra ir embora. É chegado o momento de encarar o próximo desafio desta empreitada: onde se hospedar nas Maldivas e como se deslocar entre as ilhas. Para conseguir vencer esse novo desafio você vai precisar do dobro de planejamento que foi investido no primeiro tópico: vai precisar de tempo extra para estudar sobre as ilhas, sobre qual exato destino quer visitar.

Veja que se você for pra Noronha por exemplo, não vai ter esse problema de escolher uma entre mil ilhas. Você vai pra Noronha e ponto final. As Maldivas são bem diferentes, desde que não tem estrada conectando as ilhas, os voos entre os destinos podem ser super caros e infrequentes além do que vai ser super complicado entender como vai ser feito o deslocamento, de onde partem os barcos, quanto custam, quanto tempo levam, tudo isso é preciso ser colocado em consideração para evitar qualquer surpresa desagradável no meio do seu caminho.

Praia em Fulidhoo, outra ilha que dá pra fazer as Maldivas barato
Praia em Fulidhoo, outra ilha que dá pra fazer as Maldivas barato

Neste caso eu vou te contar um pouquinho como foi a minha experiência: cheguei nas ilhas sem saber para onde ia. Sequer tinha hospedagem reservada. Isso eu não recomendo em hipótese alguma. Além de ter passado muito stress para conseguir encontrar os melhores lugares em cima da hora, eu também perdia muito tempo para conseguir me deslocar e ir direto para a minha alternativa de hospedagem. Uma coisa é certa: se você for com um itinerário na cabeça, então vai ser tudo muito mais fácil. Então antes de seguir adiante reservando hotéis, perceba que você vai ter que construir um roteirinho da sua viagem, prevendo mais ou menos quanto tempo vai querer ficar em cada lugar e quanto de dinheiro vai querer investir em cada ilha.

É preciso levar em consideração em seu planejamento que quanto mais deslocamentos você realizar, mais tempo vai gastar entre transfers, checkins/outs e naquela missão cansativa de sair pela ilha carregando sua bagagem em busca da alternativa de hospedagem que você tem reservado. Eu recomendo muito que você tenha esse planejamento muito bem estruturado antes de seguir adiante com os seus planos.

Uma boa opção pra quem tem pouco tempo é ficar no atol mais próximo a Malé, onde algumas ilhas muito lindas estão também, tais como Maafushi (uma das ilhas locais mais famosinhas), Fulidhoo e Gulhi estão localizadas. Além de ficar pertinho da ilha principal, você vai pagar apenas uns 20 dólares por pessoa para sair do aeroporto e chegar em qualquer uma delas (pode ser um pouquinho mais caro para Fulidhoo ou Gulhi). Você também pode eleger uma ilha principal com boa estrutura para passeios e fazer tours de dia inteiro para outras ilhas, esse assunto vamos falar um pouco mais abaixo.

Se quiser conhecer um atol mais distante, poderá fazer isso bem em conta comprando um ticket com um barco lento que os locais utilizam para se deslocar entre as ilhas. Existe todo um sistema complexo de “ferries” e barcos rápidos conectando os principais destinos das Maldivas, por isso é tão importante reservar um tempo a mais antes da viagem para conseguir pesquisar esses horários e encaixar com seu itinerário. Lembre-se que o barco que vai de uma ilha a outra em um dia, pode não estar disponível no outro.

Fato é que uma vez que você tenha seu roteiro estruturado, então as coisas começam a ficar mais fáceis e divertidas. Estabelecendo a quantidade de tempo que vai ficar em cada ilha você poderá seguir adiante e reservar hotéis e pousadas locais muito acessíveis. Em todas as minhas 10 diárias eu paguei e média entre 50 e 100 reais para compartilhar um quarto com meus amigos. Se você está viajando em dupla, vai encontrar alternativas de hospedagem entre 200 e 300 reais por cada diária nas ilhas locais, um valor super econômico para um destino tão exótico, distante e singular.

Eu penso que se você tem mesmo a vontade de visitar um bangalô sobre as águas, ou ficar hospedado em um resort all-inclusive nas Maldivas, então pode ponderar seus investimentos, dividindo as suas hospedagens em ilhas locais e ilhas que são resorts exclusivos. Se você não liga para esse lance de ficar hospedado em bangalô sobre as águas, mas gostaria ao menos de visitar um, pode ficar tranquilo que tem opção pra isso também, vamos falar um pouco mais sobre esse ponto logo a seguir, no tópico sobre passeios nas Maldivas.

Arrematando uma viagem econômica nas Maldivas: Passeios

Tá legal, agora chegamos numa parte muito interessante: como fazer passeios em uma viagem para as Maldivas barato! Olha essa parte é fundamental para que você possa aproveitar ao máximo sua viagem sem derrapar na última ladeira. Veja que não é só chegar na capital das Maldivas e acampar em uma das praias mais próximas do aeroporto ehhhehe, o melhor dessas ilhas encontra-se de fato FORA de Malé. Por vias de fato, quanto mais distante o destino, mais paradisíaco e intocado ele vem a ser.

Uma ilhota bem legal para fazer passeios e servir de base para as suas explorações é Maafushi. Que lugar incrível. Não é tão bonita quanto suas vizinhas Fulidhoo e Gulhi, contudo ela já se desenvolveu suficientemente para conseguir entregar boas alternativas de hospedagem e ótimas agências que fazem passeios a preços bem justos e interessantes.

Passeio perto de Maafushi, snorkel com tubarões
Passeio perto de Maafushi, snorkel com tubarões

Eu estive em Maafushi e dali partimos para vários passeios sem precisar sofrer muito com isso. O preço era sempre bem justo, entre 30 e 50 dólares para passeios de dia inteiro com comida incluído. Fiz todos os passeios em Maafushi com uma empresa de tours e transfers chamada iCom Tours, de fato uma das empresas que pareciam ter maior estrutura para atender a todos os turistas que por ali estavam a buscar passeios de meio dia ou de um dia inteiro.

Eles também fazem o transfer se você optar por passar o dia em um resort all-inclusive. Existem várias ilhas que são de propriedade dos hotéis, boa parte dessas ilhas também oferecem a oportunidade de passar o dia por lá em uma espécie de “day use”. Pode ser bem interessante e econômico fazer o day-use em uma ilha privada e passar a noite em uma ilha mais econômica de locais, você só vai ter esse custo adicional do deslocamento para arcar, porém o segredo aqui é ficar hospedado bem pertinho da ilha que você deseja visitar no seu passeio de um dia e focar as experiências em passeios e tours de meio dia ou dia inteiro.

Outra questão importante aqui, que não posso deixar de mencionar, está relacionada com a possibilidade de realizar outras experiências que podem encarecer ainda mais a sua viagem. De passeio de jet-ski a mergulho embarcado, as Maldivas oferecem uma gama gigantesca de oportunidades para diversão (e consequentemente aumento do custo da viagem). Eu sou um mergulhador profissional com mais de 200 imersões em meu livro de mergulhos e como estava viajando com o orçamento limitado acabei abrindo mão desse sonho que seria mergulhar nas Maldivas, já que estava focado nos passeios e na possibilidade de conhecer mais ilhas espetaculares.

Se por um lado não mergulhei com cilindro, por outro abusei do mergulho livre com snorkel. E quer saber mais!? Eu não me arrependi em nenhum segundo por ter tomado essas opiniões.

Viagem nas Maldivas barato: Alimentação e bebidas

O último tópico e mais simples da nossa listinha pra fazer uma viagem pras Maldivas barato está diretamente ligado com algo essencial, que não podemos de jeito nenhum deixar de incluir em um orçamento de viagem: alimentação e bebidas. A segunda opção a gente já pode cortar da lista né, desde que nas Maldivas é proibido entrar com bebida alcoólica e você também não vai encontrar cerveja, vinho ou champagne para comprar nos mercadinhos das ilhas. Então o custo acaba sendo bem reduzido por conta dessa limitação natural presente nas ilhas.

Aí você vai me dizer: “Uai Luiz, mas não tem cerveja? Não tem vinho? Direto vejo fotos de gente tomando champagne em ilhas das Maldivas”.

Ok! Eu concordo com você. É proibido pra uns, liberado pra outros, como tudo na vida. Acontece que existem embarcações e resorts que possuem uma certa “licença” para comercializar bebidas ou fornecê-las incluído no seu “all-inclusive“. O problema é que além de ser exorbitantemente caro, não está disponível para todos que estão nas Maldivas. Se você optou por visitar um resort em uma ilha privada, com certeza vai encontrar alguma alternativa de bebida alcoólica para comprar enquanto estiver nas dependências dessa ilha.

Praia em Dighurah, Maldivas barato
Praia em Dighurah, Maldivas barato

Eu também encontrei bebida alcoólica em Maafushi. Tem uma embarcação que fica ancorada em uma das praias que faz umas festinhas em alguns dias da semana. Você não paga nada para entrar no barco e se divertir, contudo se consumir alguma coisa é bom prepara para extrapolar seu orçamento.

Não tive problemas para comer bem e em abundância nas Maldivas, assim como eu gosto de fazer em qualquer lugar do mundo que vá. Em praticamente todas as ilhas que visitamos nós sempre encontramos alternativas locais e econômicas para realizar nossas refeições. Nas ilhas maiores existiam pequenos restaurantes servindo gastronomia regional, quase sempre arroz com peixe ou frango, ovo, vegetais, peixe frito e afins. Nas ilhas menores e mais locais nós quase sempre nos reuníamos para fazer a refeição na nossa própria alternativa de hospedagem, que cordialmente nos dava opções para comer bem pagando pouco.

Por falar no preço da comida local nas Maldivas, o custo era quase sempre muito bom, cheguei a pagar 2 dólares por uma refeição muito bem servida em Dhigurah, ou inda 4 dólares por mais alimento do que eu poderia comer em um restaurantezinho de Dhangueti. Da mesma forma que exisita o barato, típico para locais e turistas com o orçamento limitado, também existiam alternativas de altíssimo nível (e de custo exacerbado também). Eu presenciei alguns turistas fazendo refeições à luz de velas na beira da praia, com direito à churrasco de peixe fresco sem limitação e posso garantir que o preço era quase o mesmo que o de um passeio de dia inteiro com refeição incluída.

Concluindo

Tá vendo? Maldivas barato não é segredo! É DEDICAÇÃO e PLANEJAMENTO. Se você dedicar tempo para planejar a sua viagem como um ninja, investir seu dinheiro comprando o voo correto (seja com pontos ou comprando o ticket) é certeza de sucesso. O ponto crucial aqui fica por conta dessa gestão exigida pela logística da viagem, é fundamental fazer a revisão dos destinos que deseja conhecer e considerar o tempo de deslocamento que vai ser necessário entre eles. Também pode ser muito importante eleger ilhas mais desenvolvidas para servir de base e fazer passeios de dia completo para assim complementar sua experiência grandiosamente.

Já foi pras Maldivas alguma vez na vida?! Conhece quais ilhas? Tem alguma dica imperdível para fazer as Maldivas barato? Então não perca tempo, conta aí pra gente nos comentários, sem dúvidas eu vou fazer questão de responder a cada um dos comentários que pingarem nessa matéria, afinal de contas quem é que não tem interesse nesse tema né não?! Um grande abraço e até a próxima!


Autor
Luiz Jr. Fernandes
Sou um analista de sistemas, fotógrafo, autor deste blog e viajante profissional. Já conheci mais de 70 países em todos os continentes do mundo. As minhas matérias são 100% exclusivas, inspiradas em experiências reais adquiridas nos destinos que visito. Obrigado por ler e acompanhar o meu trabalho.
Comentários do Facebook
4 comentários publicados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *