Mergulhando com os galha-preta em Providência [parte 1]

Começamos hoje a compartilhar uma série de seis matérias que documentarão nossas experiências aquáticas na paradisíaca ilha colombiana caribenha de Providência. Muitos corais, cardumes e impressionantes tubarões galha-preta acompanharam nossos mergulhos frequentemente. Confiram nessa matéria introdutória como foi o primeiro tanque em um lugar chamado Piedra de la Tortuga.

Hoje dou início à publicação de uma série com várias matérias que eternizarão aqui nas páginas do Blog Boa Viagem alguns dos momentos mais intensos que experimentei enquanto visitava as ilhas colombianas (e caribenhas) de San Andrés e Providência. Bom, eu já até havia mergulhado com cilindro em dois excelentes sítios, mas nada até então poderia ser comparado ao que estava prestes a viver.

Quando cheguei em Providência, ainda meio baqueado pela viagem cansativa de 4 horas no catamarã Sensation, resolvemos que seria melhor dar um pulo até o tal do Felipe Cabeza, um dos mergulhadores mais bem recomendados a mim, tanto na internet, quanto por outros dive-masters que havia encontrado em San Andrés - não era sequer para procurar outra pessoa: "Vá al Felipe y busca por el Pichíi". Num primeiro momento não entendi nada, mas logo ao chegar em Providência tudo se esclareceu muito facilmente. Bastou perguntar sobre o Cabeza para a primeira pessoa que avistei ainda desembarcando no porto e obtive como resultado o endereço dele. E que endereço diga-se de passagem...

Felipe Cabeza e vários mergulhos em Proviência
Felipe Cabeza e vários mergulhos em Proviência

O dive shop dos Cabeza fica exatamente na Baía de Agua Dulce (Freshwater Bay), nas Cabañas El Recreo - simplesmente não há como errar, um lugarzinho realmente paradisíaco, e para quem conseguir errar, com certeza um islenho vai sempre estar por perto para corrigir - Felipe e seu irmão Ignacio Cabeza (el Píchi) são autoridades de respeito na Ilha de Providência. Nesta oportunidade infelizmente não conseguimos mergulhar com o Felipe, um negrão gigantesco com rastafaris enormes, porém o Ignácio e toda sua equipe foram excepcionalmente companheiros e submergimos com eles 3 dias seguidos - foram 6 tanques em 6 lugares diferentes. E segundo eles poderíamos ficar ali mergulhando todo dia durante todo mês sem repetir os sítios de mergulho.

Chegamos em quatro pessoas, dois com certificado e outros dois para o batismo. Não houve problema algum e inclusive Ignácio fez questão de dar as introduções básicas para os iniciantes antes de partirmos pro mergulho embarcado. Ao partir eles perguntaram se tinhamos experiência em mergulhos com tubarões. Bom eu já até tinha interagido com alguns, mas mal sabia que estava prestes a elevar consideravelmente meu nível de interação com esses animais. Nosso trajeto no barco não durou muito tempo e a âncora foi lançada ao mar. O briefing foi curtíssimo - a galera dos Cabeza são mais de ação do que teoria! Primeiro sítio: Piedra de la tortuga. Por que do nome?! Existe uma pedrona gigante com o formato do casco de uma tartaruga localizada a uns 20 metros de profundidade.

A beleza do primeiro sítio Piedra de la Tortuga
A beleza do primeiro sítio Piedra de la Tortuga

Visibilidade caribenha sempre perfeita! Mesmo com o céu nublado ainda conseguimos ter um mergulho em que a vista alcançava facilmente os 20 metros na horizontal. Muitos corais e anêmonas - a beleza dos jardins oceânicos de San Andrés também se mostrava presente no fundo do mar providenciano. Quando já estávamos todos do grupo no fundo e começamos a flutuar acima dos corais, eis que surgiu um dos moradores do lugar: o belo tubarão galha-preta da foto a seguir nos recepcionou e acompanhou nosso grupo por alguns momentos.

Presença constante de tubarões galha-preta
Presença constante de tubarões galha-preta

E não há problema algum em mergulhar com um tubarão só. Não enquanto é só um. Aos poucos foram pintando outros, todos da mesma espécie, rodeando nosso grupo mas sem nos assediar tanto..., eles pareciam procurar algo, porém estavam super tranquilos, flutuando junto ao nosso grupo próximo à Piedra de la Tortuga.

Tubarões em Providência - Colômbia
Tubarões em Providência - Colômbia

Em certos momentos era possível avistar vários tubarões nadando lado a lado. Várias vezes eles chegavam tão próximos que era possível até tocar em suas costas, sempre acompanhados por alguns peixes-piloto. Como este primeiro tanque foi para uma profundidade maior, nosso tempo de fundo acabou sendo reduzido e ficamos por ali explorando aquela região por cerca de 30 minutos. Presença constante dos galha-preta e confesso que nesse primeiro tanque senti a falta daqueles mergulhos tipicamente caribenhos, lotados de cardumes de peixes tropicais mega-coloridos!


Tubarões em Piedra de la Tortuga - Providência

O grande problema em fotografar tubarões é que por mais perfeitas que fiquem as imgens, elas nunca conseguirão transparecer com fidelidade a astúcia, velocidade e tampouco conseguiriam simular os níveis cavalares de adrenalina que escorreram nas minhas artérias :) Para isso eu gravei alguns vídeos que vou compartilhando aos poucos no meio das matérias mesmo...


Tubarões em Providência

Esta foi sem dúvidas uma das primeiras vezes que mergulhei com tranquilidade em meio a tantos tubarões. Para comparar um pouco os sentimentos que passam aparecer em uma ocasião como essa, eu gostava muito de comparar o oceano lotado de tubarões a um campo de futebol cheio de pit bulls selvagens: não há pra onde correr se pintar pânico, se tentar correr o tubarão vai alcançar e aí não há nada que salve. Então o lance era mesmo relaxar o máximo possível e tentar curtir o mergulho apreciando bem de perto a temida face de um dos predadores mais selvagens da natureza.

Tubarão galha-preta em Providência - Caribe
Tubarão galha-preta em Providência - Caribe

Depois de um verdadeiro espetáculo de mergulho, ainda contornamos no finalzinho a grande pedra que realmente lembrava o casco de uma tartaruga, repleta de esponjas por todos os lados e com a presença constante dos galha-preta por onde é que a vista alcançasse. Pouco mais de 30 minutos se passaram e era hora de voltar até a superfície. Faríamos uma parada técnica faltando 3 metros para chegar até o topo, onde compensaríamos o nitrogênio acumulado pela profundidade do mergulho. Quando alcancei a superfície, o céu estava ainda mais encoberto e todo mundo tinha um sorriso escancarado no rosto :)

Aguardando o resgaet da embarcação
Aguardando o resgaet da embarcação

E para não ficar muito cansativo, o segundo tanque vem no próximo post da série. Se esse foi intenso, já pensou no que vem pela frente?!, são mais 5 matérias sobre esses mergulhos em Providência - não deixe de acompanhar de perto! ;) A propósito vou deixar aqui abaixo os dados do Ignácio, um cara extremamente gente fina que deu total suporte para que os mergulhos fossem perfeitos, vale a pena contatar ele!

Ignácio Cabeza - Felipe Diving Shop
Celular: 312-306-6710 / 315-351-4672
elpichiaxo@gmail.com

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias