Primeiras impressões sobre Ho Chi Minh City, no Vietnã

Investi três dias completos de minha viagem ao Sudeste Asiático na descoberta da velha Saigon; precisava compreender a fundo as diferenças marcantes existentes na sociedade vietnamita. Saiba como foram as primeiras impressões desta mega metrópole do Sudeste da Ásia!

Tenho que confessar que desembarquei em Ho Chi Minh City um tanto quanto acanhado e contido. Eu estava completamente atordoado com o caos urbano que é Hanói e precisava desfrutar de um lugar mais amigável, de comer pelas ruas sem medo de passar mal, de encontrar pessoas que me encarassem com um sorriso no rosto e buscava dias mais ensolarados, e foi exatamente um pouco do que encontrei na velha Saigon, a capital do "Vietnã do Sul", a face antagônica da mesma moeda que Hanói, uma cidade realmente surpreendente! Apresento-lhes as minhas primeiras impressões da maior cidade, centro financeiro, corporativo e comercial do Vietnã!

Passeando pelas ruas do centro de Ho Chi Minh City
Passeando pelas ruas do centro de Ho Chi Minh City

Esta cidade foi o quartel general dos Estados Unidos durante a Guerra do Vietnã e os resultados dessa dominação estão refletidos aparentemente por todos os cantos que se pode enchergar. É justamente por esse motivo ser tão importante conhecer Hanói e Ho Chi Minh City em uma viagem ao Sudeste Asiático, pois somente assim é possível conhecer os dois lados da moeda e assim compreender as diferenças básicas entre a aparência china-URSS-socialista de Hanói, a capital do antigo Vientã do Norte e a capitalista, despojada, extrovertida Ho Chi Minh city e seus habitantes, muitos deles que mais se parecem com neo-vietnamitas ocidentais, enquanto a dominância oriental é tão aparente ao norte. Até hoje é possível caminhar pelas ruas de Saigon e contemplar vários cartazes, outdoors, panfletos e material diversificado de propaganda em cores vermelhas estampando sempre a foice e o martelo.

Cartazes, outdoors e faixas pelas ruas de Ho Chi Minh
Cartazes, outdoors e faixas pelas ruas de Ho Chi Minh

Esta é uma cidade que possuiu vários nomes ao longo de sua história, um reflexo direto da influência dos grupos étnicos, culturais e políticos dominantes nesta gigantesca metrópole na localizada ao sul do Vietnã, nas imediações do Delta do Rio Mekong. O principal nome que ainda se ouve pelas ruas é Saigon, nome escolhido pela conquista francesa ainda em 1860 e só foi derrubado após a tomada comunista do Vietnã do Sul, em 1975, ano em que o governo provisório decidiu renomea-la para Ho Chi Minh City, em homenagem a este falecido líder do Vietnã do Norte.

Apesar das diferenças gritantes encontradas entre Ho Chi Minh e Hanói, um detalhe esteve muito aparente em todas as ruas, mas principalmente nas grandes avenidas - o impressionante número de motocicletas que tomam conta de boa parte das vias públicas. Imagine uma avenida com 3 pistas, sendo que 2 são apenas para motos e uma para os carros, isso é real e pode ser observado facilmente em uma visita ao sul do Vietnã.

Trânsito intenso nas ruas de Ho Chi Minh City
Trânsito intenso nas ruas de Ho Chi Minh City

E em meio ao caos ainda era possível encontrar detalhes que mostravam que os vietnamitas eram muito mais do que apenas capacetes e motocicletas se espremendo entre as vias públicas. Minhas primeiras impressões sobre essa cidade foram mais ou menos assim - caminhando pelas ruas sem um destino imediato. Gastando meu tempo para analisar as diferenças, para compreender os motivos da ocupação norte-americana ter deixado tantas marcas que trasformaram para sempre a sociedade, os costumes, a way of life desta região do Vietnã!

Detalhes de uma rua e algumas pessoas de Ho Chi Minh
Detalhes de uma rua e algumas pessoas de Ho Chi Minh

O mais interessante foi perceber que menos pessoas utilizavam o tradicional chapéu cônico vietnamita, poucas pessoas mantinham restaurantes pelas ruas, mas agora os estabelecimentos se mostravam mais bem estruturados, as calçadas eram mais largas e o povo muito mais amigável. Frequentemente encontrava pessoas sorrindo para minha câmera, apontando os detalhes que gostariam que fossem fotografados, gesticulavam tentando expressar sentimentos intensos que não deveria deixar de capturar. Assim foi enquanto estava perdido em uma das praças do centro de Ho Chi Minh. Topei com alguns homens, sentados no meio do meu caminho e logo um deles notou a minha presença, viu que portava uma câmera fotográfica e fez questão de sorrir afirmativamente quando percebeu que queria registrar alguns daqueles momentos para a posteridade.

Homens jogando em uma praça no centro de Saigon
Homens jogando Xiangqi (xadrez chinês) em uma praça no centro de Saigon

Quando percebeu que era de outro país, e que estava encantado com o jogo de xadrez chinês, um dos homens veio até a minha direção, tocou no meu braço e me puchou para um canto, ele queria mostrar-me seu filho, queria que levasse uma foto dele comigo. Eu fiquei sensivelmente emocionado com aquela atitude. Pedi para que eles sorrissem, acertei a claridade do ambiente e disparei o flash. Ele sorriu, se emocionou uma lágrima escorreu do seu rosto ao ver o filho no visor LCD da câmera. Eu fiquei com um bruto nó na garganta durante o resto do dia e aprendi em uma simples lição de vida que os detalhes realmente são os grandes responsáveis por fazer a diferença em uma viagem a destinos tão exôticos quanto é o Vientã!


Xadrez Chines pelas ruas de Ho Chi Minh City

Luiz Jr. Fernandes
Autor

Luiz Jr. Fernandes

Analista de TI, empresário, fotógrafo e viajante.
Perfil do autor no , facebook e twitter.

Veja nossas últimas matérias
Clique para ver mais matérias