Nesta matéria nós relatamos como foi a experiência em conhecer a Basílica do Santo Sepulcro na cidade de Jerusalém. Viajamos no final do mês de abril deste ano de 2014 para Israel afim de conhecer a Terra Santa e outros destinos no Oriente Médio. Iniciamos essa expedição por uma visita inusitada à cidade de Paris que durou pouco mais de 6 horas.

Depois que conseguimos desembarcar e definitivamente chegar a Jerusalém, procuramos um hotelzinho no lado muçulmano da Cidade Antiga e saímos para tirar nossas impressões iniciais sobre um dos destinos turísticos mais visitados no planeta. Exploramos alguns dos grandes portais que conectam a moderna metrópole a seu “centro histórico” (e uso aspas pois Old City é muito, MUITO MAIS do que um centro histórico) e partimos para a visitação a um dos destaques deste destino.

Como tudo fica muito próximo nesse quilômetro quadrado em que Old City é constituída, nosso finalzinho de dia seria conhecendo um dos lugares mais importantes desta cidade, e isso acredito ser tanto para católicos quanto para outras religiões cristãs, nos perdemos em meio à multidão que diariamente visita a Basílica do Santo Sepulcro, lugar sagrado para o cristianismo onde Jesus foi crucificado, sepultado e de onde ressuscitou na Páscoa.

Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém - Israel
Basílica do Santo Sepulcro em Jerusalém – Israel

Não fizemos planejamento algum para essa caminhada vespertina pelas ruas da Cidade Antiga, estávamos deixando com que o fluxo de turistas nos guiasse até as principais atrações.

Logo na entrada desta importante Basílica haviam centenas, talvez milhares de pessoas caminhando como um verdadeiro formigueiro humano. Pessoas emocionadas chorando bastante, várias pessoas orando por todos os cantos, guias turísticos falando em línguas estrangeiras e turistas e mais turistas em um mix gigantesco de nacionalidades. Aos poucos fui me encontrando nesse grande vai e vem de grupos turísticos e conseguimos entrar no recinto para conhecer melhor seu interior.

Uma vez com os pés dentro da Igreja do Santo Sepulcro, o primeiro lugar que pode ser contemplado é a Pedra da Unção, lugar sagrado no qual diz a tradição ter sido onde o corpo de Cristo foi preparado para seu sepultamento, por José de Arimateia e Nicodemos. Arrepios se espalham pelo meu corpo enquanto escrevo esta matéria, apenas por recordar das sensações que obtive enquanto dava meus primeiros passos no interior da Basílica.

Rochedo em que Jesus foi colocado depois da crucificação
Pedra da Unção – rochedo em que Jesus foi colocado depois da crucificação

Pessoas dos mais variados lugares do planeta se ajoelham e de alguma forma tentam captar as energias que ali foram depositadas ao longo do anos. Apesar da tradição confirmar que nesse lugar Cristo foi preparado para seu funeral, a pedra atual só chegou a ser posicionada no interior da Basílica do Santo Sepulcro na Idade Média, por volta do ano 1810. Existe uma grande parede com a pintura da unção de Cristo após sua morte logo atrás da Pedra da Unção (primeira foto da montagem anterior), que foi construída como forma de sustentação para o arco da Basílica localizado logo acima.

Outro lugar bastante venerado pelos visitantes desta importante Igreja localizada na Cidade Antiga de Jerusalém é o Altar da Crucificação, onde supostamente Jesus Cristo foi crucificado, definitivamente o lugar mais bem adornado do interior desta Basílica. Neste lugar os visitantes podem descer uma pequena escada que dá acesso ao lugar onde estaria localizado o Calvário, neste ponto existem vários desacordos sobre onde seria a localização exata de onde Jesus esteve crucificado, desde que o Evangelho de João no Novo Testamento cita em algumas passagens que o Calvário estaria perto de Jerusalém (João 19:20), mas completamente fora das muralhas da cidade (Epístola aos Hebreus 13:12).

Altar da Crucificação na Basílica do Santo Sepulcro em Jerusalém
Altar da Crucificação na Basílica do Santo Sepulcro em Jerusalém

Acontece que Constantino, o imperador romano foi quem ordenou a construção desta Igreja no lugar em que acreditava ser o sepulcro de Jesus, próximo ao Calvário.

Compreenda que existe uma certa discrepância entre os relatos bíblicos e o lugar escolhido por Constantino, porém se seguirmos de fato as informações bíblicas, chegaremos à conclusão de que com certeza o Santo Sepulcro real estava provavelmente um pouco distante de onde atualmente estão as muralhas da Cidade Antiga de Jerusalém. Muitos historiadores buscam explicações mais precisas até em nossos dias atuais para encontrar o lugar que de fato seria o ponto exato em que a cruz de Jesus Cristo foi levantada para Sua crucificação.

Polêmicas religiosas à parte, seguimos nosso reconhecimento desta que é sem dúvidas o ponto alto de uma viagem à terra santa de Jerusalém ficando perplexos com a quantidade impressionante de pessoas que se espremiam próximas à entrada do lugar mais sagrado desta Igreja: a Edícula do Santo Sepulcro, onde está o santo sepulcro propriamente dito.

Edícula do Santo Sepulcro no interior da Basíica
Edícula do Santo Sepulcro no interior da Basíica

A Edícula é um pequeno edifício santo localizado no interior da segunda e mais alta cúpula da Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém. Por estar diretamente relacionada ao evento do sepultamento de Jesus e sua “ressurreição”, este local é considerado o mais sagrado de toda a Igreja e consequentemente de todo o cristianismo. Esta Edícula possui dois aposentos básicos: a Capela do Anjo, onde existe um fragmento da pedra que selou o túmulo de Jesus, bem como o próprio túmulo do Cristo. Eu não consegui enfrentar a grande massa de turistas que desejavam visitar o interior da Edícula, mas fiz questão de tocar nesse sagrado templo e me concentrar fazendo orações para as pessoas que definitivamente têm amor pela minha vida, a meus familiares, amigos e bem como inimigos e principalmente a todos vocês que leem, nos seguem, curtem e interagem conosco através das páginas deste singelo blog de viagens.

Autor
Luiz Jr. Fernandes
Luiz Jr. Fernandes
Sou um analista de sistemas, fotógrafo, autor deste blog e viajante profissional. Já conheci mais de 70 países em todos os continentes do mundo. As minhas matérias são 100% exclusivas, inspiradas em experiências reais adquiridas nos destinos que visito. Obrigado por ler e acompanhar o meu trabalho.
Comentários do Facebook
1 comentário publicado
  1. Exelente matéria! Eu tive a graça ao conhecer os mesmos locais sagrados,que você abordou.Para mim Jerusalém foi surpreendente e,sentir as Bençãos de Deus é maravilhoso shalon!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.